Pesquisa avaliou dados divulgados por governos estaduais e federal.

Os dados divulgados sobre o coronavírus no Brasil são insuficientes para acompanhar o avanço da pandemia em 90% dos estados brasileiros, segundo estudo feito pela organização Open Knowledge Brasil (OKBR) divulgado nesta sexta (3). Os dados divulgados pelo governo federal também tiveram baixa avaliação na análise da organização.

O levantamento avaliou três pontos entre as informações divulgadas em portais dos governos dos estados e do governo federal: conteúdo, formato e nível de detalhamento (leia mais ao fim deste texto).

De acordo com o estudo, somente Pernambuco possui clareza dos dados e publica informações dos casos – o estado fez 81 de 100 pontos. Em seguida vem Ceará (69) e Rio de JAneiro (64).

Onze estados ainda precisam avançar na publicação de dados e foram considerados “opacos” com relação à Covid-19 – o nível dessa categoria vai de 0 a 19 pontos.

“Como o Ministério da Saúde publica dados muito agregados e os estados não observam os mesmos parâmetros de publicação, há muita variação entre os estados. Isso pode prejudicar a comparação e dificultar o planejamento a infraestrutura de saúde necessária para lidar com a crise”, afirma Fernanda Campagnucci, diretora-executiva da OKBR.

Confira os principais pontos da análise
90% dos avaliados ainda não publicam dados suficientes para acompanhar a disseminação da pandemia de Covid-19 pelo país, incluindo o governo federal
Quase 40% dos estados ainda têm nível “opaco” de divulgação (0 a 19 pontos)
Apenas 1 estado divulga em seu portal a quantidade de testes disponível
Nenhum estado divulga quantos leitos (sobretudo, UTIs) estão ocupados, em relação ao total disponível
3 estados e o governo federal ainda não publicam informação por município
Mais de 80% dos entes avaliados não divulgam dados em formato aberto (apenas em boletins ou em meio ao texto corrido)


Transparência de dados de Covid-10 no país
Pontuação máxima é de 100; confira como cada estado se saiu na avaliação da OKBR:

Alto: Pernambuco (81)
Bom: Ceará (69) e Rio de Janeiro (64)
Médio: Tocantins (50), Minas Gerais (48), Maranhão (45), Mato Grosso do Sul (45) e Roraima (40)
Baixo: governo federal (36), Rio Grande do Sul (36), Alagoas (33), Bahia (33), Mato Grosso (31), São Paulo (31) Rio Grande do Norte (29), Distrito Federal (21), Piauí (21), Amazonas (17), Acre (14) e Goiás (14)
Opaco: Amapá (10,) Espírito Santo (10), Paraíba (10), Paraná (10), Santa Catarina (10), Sergipe (10), Pará (0) e Rondônia (0)

Dados analisados:

Conteúdo: idade, sexo e hospitalização dos pacientes confirmados, além de infraestrutura de saúde, como ocupação de leitos, testes disponíveis e aplicados.
Formato: consideram-se pontos positivos a publicação de painéis analíticos, planilhas em formato editável e séries históricas dos casos registrados.
Detalhamento: avalia se os casos estão disponíveis de forma individual e anonimizada; além do grau de detalhe sobre a localização (por município ou bairro, por exemplo)