A cidade deve receber 10 mil doses de vacinas contra a covid-19; primeiros a serem imunizados serão profissionais da saúde

A Secretaria de Saúde de Araçatuba (SP) informou que nesta primeira etapa da campanha de imunização contra a covid-19 devem ser vacinadas pouco mais de 40 mil pessoas, que corresponde a aproximadamente 20% da população.

A Prefeitura afirmou que o município seguirá o cronograma já divulgado pelo governo do Estado, que prevê a aplicação da primeira dose da vacina em 25 de janeiro, quando é comemorado o aniversário de São Paulo.

Caso o Ministério da Saúde antecipe o início da vacinação, a imunização em Araçatuba também será antecipada. Há duas vacinas com pedidos de autorização para o uso em caráter emergencial aguardando aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que informou que se manifestará a respeito no domingo (17).

A cidade deve receber inicialmente cerca de 10 mil doses do imunizante. Os primeiros a serem vacinados, seguindo o cronograma do Ministério da Saúde, serão profissionais da saúde, indígenas e/ou quilombolas.

Esse público está estimado em 9 mil pessoas em Araçatuba, segundo o que foi informado ao Hojemais Araçatuba. A previsão inicial é de que eles recebam a segunda dose a partir de 15 de fevereiro.

Porém, essa data pode ser alterada, já que existe a possibilidade de o intervalo entre a primeira e a segunda dose ser ampliado para que mais pessoas sejam imunizadas num primeiro momento.

Os profissionais de saúde receberão as vacinas nos próprios locais de trabalho e, segundo a Secretaria de Saúde, as doses iniciais serão suficientes para atender a demanda.

Com relação à população idosa, que será a segunda a receber a vacina, a estimativa é de que seja composta por 31,6 mil pessoas em Araçatuba.

A Prefeitura não informou os locais de vacinação desse público, que começa a ser imunizado a partir de 8 de fevereiro, para quem tem 75 anos ou mais. Para quem tem entre 60 e 64 anos, a vacinação está prevista para começar em 1.º de março.

Por fim, o município afirma que já tem à disposição quantidade de seringas e agulhas suficiente para atender a primeira demanda da campanha de imunização.