O Corinthians entrou em 2018 como o então campeão brasileiro e, em abril, faturou o Paulistão diante de seu grande rival. O ano que parecia promissor logo se tornou um período para os torcedores alvinegros esquecerem.

Por saídas de nomes como Jô, Guilherme Arana, Balbuena, Rodriguinho e Maycon — todas estas em um período de sete meses —, o Timão teve perdas significativas no setor ofensivo e de criação. Além disso, o técnico Fábio Carille, hoje de volta ao Alvinegro, deixava o clube em maio rumo ao Al-Wehda, da Arábia Saudita.

O resultado se deu no campo: mais uma queda nas oitavas de final da Libertadores, perda do título da Copa do Brasil diante de um Cruzeiro melhor e mais organizado, e, no Brasileirão, um modesto 13º lugar, com somente 34 gols marcados — um dos piores ataques competição, à frente apenas de quatro equipes.

Para mudar esse panorama, o Corinthians garantiu bons reforços para 2019, sobretudo no ataque. Além do retorno de Carille, campeão brasileiro de 2017 e bicampeão paulista, o clube contratou Boselli, Ramiro, Sornoza, Manoel e outros quatro atletas.

Setor mais frágil do Corinthians em 2018, o ataque, que teve Romero como artilheiro do ano e Roger e Jonathas para a função de centroavante, tem agora dois nomes que dão aos corintianos a esperança de mais bolas na rede nesta temporada: Boselli e Gustagol.

O argentino, vindo do León-MEX, onde era ídolo, soma mais de 200 gols na carreira e conta com duas taças da Libertadores no currículo: pelo Boca Juniors, em 2007, e pelo Estudiantes, em 2009, quando foi artilheiro e autor do gol do título.

Gustavo volta de empréstimo a fim de convencer a torcida corintiana de que merece espaço na equipe de Carille. O centroavante não foi bem pelo Corinthians em 2016. Mas, no ano passado, emprestado ao Fortaleza, marcou 30 gols — sendo 14 na campanha do título da Série B — e foi o artilheiro do futebol brasileiro na temporada. No primeiro jogo em seu retorno, diante do Santos, marcou o gol do empate por 1 a 1.

André Luis, ex-Ponte Preta, e Gustavo Mosquito, ex-Coritiba, completam a lista de atacantes recém-chegados ao clube. Eles serão, junto de Pedrinho, Clayson e Romero, opções para as pontas.

Para a armação, Jadson ganhará a companhia de Junior Sornoza, camisa 10 do Fluminense no ano passado. Os dois meias e Mateus Vital poderão revezar na função sem criar desgastes pelo excesso de partidas.

Reforços para outros setores

Desde a saída de Balbuena, Pedro Henrique e Léo Santos disputaram vaga para acompanhar Henrique na linha de zaga. Agora, Manoel deve ser o titular.

Com a chegada de Richard, a briga pela vaga de primeiro volante deve ser acirrada entre Gabriel, Ralf e o ex-atleta do Fluminense.

Na função de segundo volante, o espaço deixado por Maycon ainda não estava definido. Ramiro, que deixou o Grêmio, deve ocupar a posição na qual Douglas deixou a desejar em 2018.

fonte: r7.com