O sindicalista e empresário José Avelino, que foi preso temporariamente durante a operação da Polícia Federal ‘#TudoNosso’, deflagrada na manhã de terça-feira (13) em combate à corrupção na Prefeitura de Araçatuba (SP), tem ‘estádio’ de futebol com arquibancada e iluminação, e até escultura gigante de chinelo, referência ao seu apelido, em sua casa.

De acordo com a Polícia Federal, José é considerado o chefe de um grupo investigado por desviar recursos da Prefeitura de Araçatuba por meio de contratos fraudulentos e por possuir forte influência política na região.

Nos últimos dois anos e meio, a polícia acredita que a organização criminosa movimentou mais de R$ 15 milhões.

Ao todo, 15 suspeitos foram presos em Araçatuba, Itatiba, Jundiaí e Bauru (SP) até quarta-feira (14). Só em Araçatuba foram 12 pessoas levadas à delegacia, entre elas os ex-servidores municipais que ocupavam cargos de confiança, os chamados comissionados, mas que foram demitidos, na manhã desta quarta-feira (14).

‘Estádio’ e ‘chinelo’
Imagens divulgadas pela Polícia Federal mostram o tamanho da propriedade, em Clementina (SP). O local tem piscina, área de convivência, casas e uma réplica do Cristo Redentor.

Nas imagens feitas por um drone é possível ver que o campo de futebol fica à esquerda da entrada da área e que há um letreiro escrito ‘Estádio Germanão’.

Outra cena que chama atenção é o fato de existir uma escultura gigante de um chinelo instalada no topo de uma estrutura bem próxima da piscina, que faz referência ao apelido de José Avelino.

As informações são do portal G1/TV Tem