Pleito está previsto para novembro; comissão eleitoral deve ser criada até o fim deste mês

Enquanto parlamentares já discutem em Brasília o adiamento das eleições municipais deste ano, no Corinthians ainda há confiança de realizar a escolha do presidente e dos próximos conselheiros treinais do clube na data prevista, em novembro.

O clima no Parque São Jorge, porém, é de incerteza. Pessoas atuantes na política corintiana demonstram preocupação quanto as condições para reunir milhares de sócios para a eleição. Porém, de acordo com Antonio Goulart, presidente do Conselho Deliberativo do Timão, o adiamento do pleito está fora de cogitação.

Goulart pretende nos próximos dias avançar na formação da Comissão Eleitoral, que será responsável por organizar o pleito. O estatuto do Corinthians determina que esta comissão seja formada até o fim de maio.

Além do substituto do presidente Andrés Sanchez, os sócios do Corinthians escolherão oito chapas de conselheiros, cada uma com 25 pessoas, totalizando 200 eleitos. Eles tomarão posse a partir de 2021.

Até o momento, Paulo Garcia e Augusto Melo são os únicos candidatos à presidência confirmados. Mario Gobbi, que comandou o clube entre 2012 e 2015, pode confirmar a candidatura nas próximas semanas. O grupo “Renovação e Transparência”, que comanda o Timão desde 2007, ainda não definiu seu representante. O diretor de futebol Duílio Monteiro Alves é o favorito.