Marcelinho critica trabalho de Tiago Nunes no Corinthians: “A responsabilidade dele é total”

O início da temporada de 2020 para o Corinthians não foi como o torcedor esperava. Antes da paralisação do futebol brasileiro por conta da pandemia do novo coronavírus, o Timão foi eliminado para o Guaraní-PAR na Pré-Libertadores e amargava a terceira colocação do Grupo D do Paulistão, com pouca chance de classificação para as quartas de final. Em entrevista ao programa Mesa Redonda, neste domingo, o ídolo alvinegro Marcelinho Carioca criticou o trabalho do técnico Tiago Nunes.

“O chicote está estralando. Primeiro porque o Corinthians não é para amanhã, é para ontem. O espirro, se não cuidar, vira uma pneumonia, não é nem uma gripe. O Tiago tem seus méritos, montou uma equipe campeã da Copa do Brasil, mas guardada as devidas proporções, o Athletico-PR é um clube médio. O Corinthians é gigante. Ele poderia ter vindo em novembro, observar o grupo, ficar na dele. Agora ele está sentindo a pressão. Ele tirou o Ralf. O jogador se escala sozinho. Não tem como enganar. Todo mundo sabe o que cada um faz. Até o Jadson, com a qualidade dele refinada. E não levou em consideração a história. Ele passou o cerol e assumiu toda a responsabilidade”, afirmou.

Marcelinho Carioca, ídolo do Corinthians, criticou o trabalho do técnico Tiago Nunes (Foto: Reprodução/Mesa Redonda)
O ex-jogador também falou que a responsabilidade dos resultados corinthianos são do treinador e questionou a cartilha imposta pelo comandante ao elenco alvinegro.

“A responsabilidade dele é total. Eu gostaria de saber sobre essa cartilha. Acabou o almoço, ninguém pode jogar sinuca, ping pong. Tem que esperar o Cássio ou o Fagner falar. Aonde isso? Ao meu ver, com todo o respeito, chegar em um clube grande e mudar tudo de uma hora para outra, tem que bancar. A responsabilidade é toda dele. Tem que assumir. Por que o Ralf não se encaixa dentro do sistema dele? O Camacho encaixa? O Richard encaixa? O Gabriel é mais de marcação, mas o Ralf vinha jogando e treinando pra caramba,. A gente não entende essa filosofia. Nós ficamos sabendo que os jogadores não estão contentes. Não adianta. Ele tem que se atentar que o grupo já vem junto a bastante tempo. E os caras sentiram as saídas do Ralf e do Jadson”, disse.

Em relação ao estilo ofensivo que Tiago Nunes busca dar ao Corinthians, Marcelinho afirmou que não está convencido com a nova metodologia.

“Deram o respaldo para ele mudar, então ele tem que assumir. Bater no peito e falar ‘a decisão é minha’. Porque se os resultados não acontecem, a culpa é dele. O grupo não sabe se de repente a diretoria que teve uma conversa com ele. Mudar a metodologia é ótimo, mas no Corinthians ninguém espera. Essa parada foi um alívio, mas você ganha ritmo de jogo jogando. Como vai voltar o Corinthians? Não adianta isentar. São coisas que estão acontecendo e ele mesmo se posicionou. Qualquer coisa que falar no Corinthians, o negócio explode. O mundo cai. Os caras não têm noção do que é o Corinthians”, bradou.