Acusada aproveitou ausência do escrivão, pegou o celular dele e escondeu na lixeira do banheiro feminino

Uma mulher de 37 anos foi presa em flagrante nesta quinta-feira (6), acusada de tentar furtar o telefone celular de um policial civil na Central de Flagrantes de Araçatuba (SP). Ela havia procurado a delegacia para registrar queixa de ameaça e agressão contra o namorado dela.

O celular furtado foi encontrado no cesto de lixo do banheiro da delegacia e a acusada disse que pretendia vendê-lo para pagar dívida de droga.

Segundo apurado pelo Hojemais Araçatuba , a mulher foi ao plantão policial por volta das 10h30, acompanhada da mãe dela, de 58 anos.

Ela disse que estava internada no pronto-socorro municipal, tendo a mãe como acompanhante, quando recebeu a visita do namorado, que tem 36 anos.

De acordo com ela, eles se desentenderam e antes de sair do quarto, ele ameaçou matar a mãe dela e colocar fogo na casa dela.

A mulher disse que quando saiu do pronto-socorro, o namorado dela aguadava e a segurou pelo braço, machucando a mão esquerda dela. Disse ainda que já foi agredida outras vezes e ameaçada de morte por ele.

Ela não quis representar contra o namorado, mas a mãe dela sim, e inclusive representou pelas medidas protetivas previstas na lei Maria da Penha contra o genro.

O escrivão que registrava a ocorrência percebeu o furto do celular após retornar da sala do delegado, onde esteve para relatar a agressão sorida pela mulher. Ao retornar à sala dele, encontrou a mulher sozinha na sala dele.

Quando os policiais iniciaram a procura pelo aparelho, a acusada passou a dizer que precisava ir embora para não perder o horário do almoço no Centro POP (Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua).

Porém, uma funcionária da delegacia ligou para o celular desaperecido e ouviu ele tocar no banheiro feminino, onde o encontrou, dentro da lixeira. Essa mesma funcionária viu quando a mulher saiu da sala do escrivão, na ausência dele, para ir ao banheiro.

O delegado foi informado da tentativa de furto e prendeu a acusada. Ele arbitrou fiança de R$ 1 mil, mas o dinheiro não foi apresentado e a mulher ficou à disposição da Justiça.