Ação acontece de forma simultânea em diferentes regiões. São 300 mandados judiciais entre prisões e buscas.

O Ministério Público de nove estados realiza nesta quinta-feira (15) operações contra integrantes de organizações criminosas, como o tráfico, e contra policiais suspeitos de ligação com o crime.

Até as 8h45, 67 pessoas haviam sido presas.

As investigações dos Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) resultaram em um total de 300 mandados, entre prisões e buscas, nos nove estados.

MP cumpre mandado na casa de chefe de facção que atua no Amazonas — Foto: Divulgação/MP-AM MP cumpre mandado na casa de chefe de facção que atua no Amazonas — Foto: Divulgação/MP-AM
MP cumpre mandado na casa de chefe de facção que atua no Amazonas — Foto: Divulgação/MP-AM

No Rio de Janeiro, a operação tem apoio da Polícia Federal e da Corregedoria da Polícia Militar.

A ação é articulada pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), um colegiado que reúne os Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) do Ministério Público.

As operações acontecem de forma simultânea nos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro.

A ação no RJ
São três operações em andamento.

41 mandados de busca e apreensão contra nove policiais militares (oito por associação criminosa e crime de corrupção passiva e um por associação para o tráfico). Todos afastados de suas funções pela Justiça.
Mandados de prisão contra sete traficantes em comunidades do Complexo de Madureira.
Tentativa de prisão contra suspeitos de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, com denunciados que atuavam como “laranjas” para ocultar o dinheiro ilícito do tráfico de integrantes do Comando Vermelho.
A ação em outros estados
Acre: A previsão é de uma revista na Penitenciária Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco. O foco está em pavilhões dominados pelo PCC e pela facção local Bonde dos 13, aliada ao Primeiro Comando da Capital.

A ação busca a apreensão de ilícitos e informações sobre a quadrilha, além da identificação de pessoas que exercem posição de chefia nessas organizações.

Paralelamente, foram denunciadas à Justiça 69 pessoas presas na Operação Hemólise, realizada no dia 24 de julho, na Capital e em outros quatro municípios. Os denunciados são integrantes da maior facção do tráfico no Rio de Janeiro.