Ronaldinho Gaúcho deve seguir preso no Paraguai pelo menos até a Páscoa

As investigações do Ministério Público do Paraguai estão em ritmo lento por causa da quarentena imposta pelo governo para toda a população devido ao coronavírus, e todos os serviços estatais estão trabalhando de forma limitada.

Com isso, a perícia dos celulares do pentacampeão mundial e de seu irmão Roberto Assis também atrasou.

A ESPN apurou que os telefones já estão em posse da defesa dos ex-jogadores, detidos desde o dia 6 de abril por terem entrado no Paraguai com documentos falsos.

Uma hipótese para a devolução dos aparelhos é o MP ter feito um espelhamento dos arquivos, fazendo cópia dos HDs. Outra possibilidade é a de a Fiscalía ter devolvido parte dos celulares, tendo em posse ainda outros dispositivos dos irmãos Assis.

O laudo pericial, por enquanto, não está concluído.

Ronaldinho Gaúcho e Roberto Assis após prestarem depoimento no MP do Paraguai Getty


Ronaldinho já teve três pedidos negados para deixar a Agrupación Especializada, prisão de alta segurança onde divide com Assis um quarto do pavilhão que funciona como regime semiaberto.

Por isso, já foi possível ver o duas vezes melhor do mundo jogando futsal, futevôlei e até participando de churrasco com os outros detidos.

O decreto do governo do Paraguai quanto à quarentena vai até 12 de abril, domingo de Páscoa, e a expectativa do Ministério Público é de que a partir de segunda-feira 13 os serviços comecem a ser reestabelecidos.