Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Caixa anunciaram redução nas taxas de juros, seguindo o corte mais recente da taxa básica de juros pelo Banco Central.

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (8) uma nova redução nas taxas de juros de suas linhas de crédito imobiliário, seguindo movimento feitos nos últimos dias pelos concorrentes Itaú, Bradesco e Banco do Brasil.

A redução das taxas para financiamento da casa própria acompanha o corte mais recente da taxa básica de juros pelo Banco Central, que reduziu de 6% para 5,5% a Selic e ainda sinalizou espaço para novos cortes ao longo do ano.

As novas taxas valem tanto para imóveis residenciais enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), para imóveis de até R$ 1,5 milhão e que permite ao comprador usar o saldo das contas do FGTS, quanto no Sistema Financeiro Imobiliários (SFI) ou carta hipotecária, que costumam ser direcionadas para imóveis mais caros e solicitadas por compradores que não conseguem se enquadrar nas regras do SFH e utilizar recursos do FGTS.

Embora a Caixa Econômica ainda concentra cerca de 70% do mercado de crédito imobiliário no país, as taxas do banco não são necessariamente as mais baixas. Desde o ano passado, os juros cobrados pelos maiores bancos nas principais linhas de financiamento da casa própria têm se mantido bem próximos.

 

Banco Sistema Financeiro Habitacional (SFH) Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) – carta de crédito pró-cotista FGTS limite do financiamento
Caixa (modalidades tradicionais) a partir de 7,5% ao ano + TR a partir de 7,5% ao ano + TR entre 8,76% e 9,01% ao ano + TR até 80% do valor para imóveis novos e 70% do valor para usados
Caixa (linha nova, atualizada pela inflação) a partir de 2,95% + IPCA a partir de 2,95% + IPCA não opera até 80% do valor o imóvel
Banco do Brasil a partir de 7,4% ao ano + TR a partir de 7,4% ao ano + TR (na carteira habitacional hipotecária) 9% ao ano + TR (disponível para imóveis novos e usados) até 80% do valor do imóvel novo ou usado
Itaú Unibanco a partir de 7,45% ao ano + TR a partir de 7,45% ao ano + TR não opera até 82% do valor do imóvel (tanto para novos como usados)
Bradesco a partir de 7,30% ao ano + TR a partir de 7,30% ao ano + TR (na carteira habitacional hipotecária) não opera até 80% do valor do imóvel novo ou usado
Santander a partir de 7,99% ao ano + TR a partir de 7,99% ao ano + TR a partir de 7,95% +TR (apenas para imóveis novos) Até 80% do valor do imóvel (tanto para novos como usados)