Avanço da dengue na região prejudica doação de sangue
Hemocentro de Araçatuba precisa de sangue tipos O+, O- e A- que estão com estoque bem abaixo do ideal
Aline Galcino – Hojemais Araçatuba
03/04/19 às 20h01
Benedito Rodrigues dos Santos (azul) e Gabriel Labos doam sangue em Araçatuba (Foto: Aline Galcino)
Benedito Rodrigues dos Santos (azul) e Gabriel Labos doam sangue em Araçatuba (Foto: Aline Galcino)
Os estoques de sangue dos tipos O positivo, O negativo e A negativo do Núcleo de Hemoterapia de Araçatuba (SP) estão bem abaixo do ideal para atender a demanda da região. Um dos motivos para a situação é o avanço da dengue, o que impede a doação e aumenta a demanda.

De acordo com a responsável pela comunicação social do Núcleo, Aline Durante, atualmente há apenas oito bolsas de sangue do tipo O-, mas deveria ter 50. Do tipo A- são 13 bolsas, contra as 50 que seriam ideais. O sangue O+ tem 120 bolsas, menos da metade do ideal (250 bolsas).

“O motivo é o aumento no consumo e baixa de doadores. Tivemos o período de férias, depois o Carnaval e agora o surto de dengue na região”, explicou.

Pessoas que tiveram dengue clássica devem aguardar pelo menos um mês após a cura para doar. Se a pessoa teve o tipo hemorrágica, o período estende-se para seis meses.

Doação

Podem doar sangue qualquer pessoa que tenha entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos. Menores de 18 anos precisam de autorização dos responsáveis.

É preciso estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50 quilos, estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas) e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação).