4º arrastão contra o mosquito Aedes acontece neste sábado (6); Ação será na região do Quemil

A Prefeitura de Birigui segue neste sábado, dia 6 de abril, com a força-tarefa montada para combater o mosquito Aedes, transmissor da dengue. Será o quarto e último “arrastão de sábado” casa a casa.

O objetivo da administração é eliminar possíveis criadouros do mosquito. A ação reúne 90 agentes da Secretaria Municipal de Saúde. Com o suporte da Secretaria de Serviços Públicos, Água e Esgoto, a atividade reúne mais de 100 pessoas.

Os agentes de saúde da prefeitura estarão nos bairros Jardim Santana, Quinta da Mata e Quemil. A meta é visitar 3.260 imóveis. A visita casa a casa será das 7h30 às 13h30.

Os moradores receberão um panfleto educativo e orientações sobre como eliminar objetos e materiais que possam acumular água parada. A larva do mosquito se prolifera na água parada.

Dois caminhões da prefeitura estarão passando e recolhendo o material descartado pelos moradores. Basta deixar em frente das residências.

Este ano, de 1º de janeiro até 2 de abril, a cidade registrou 2.702 notificações da doença, sendo 813 casos positivos. Duas mortes por dengue foram registradas neste período.

“Essa ação visa eliminar objetos e lugares onde possam acumular água parada, locais onde ficam as larvas do mosquito. A ação terá resultado positivo se os moradores permitirem a entrada dos agentes e ajudarem na limpeza geral de suas residências”, falou o educador em saúde pública Marco Sanchez, do CCVZ (Centro de Controle de Vetores e Zoonoses).

A concentração dos agentes será na praça localizada em frente a ETEC Paula Souza (rua Ermando Zin, sem número), no Jardim Santana.

No último sábado, dia 31 de março, o arrastão ocorreu nos bairros vizinhos do Jardim Costa Rica. Os agentes visitaram 1.854 imóveis, sendo que 968 estavam fechados, desabitados ou o morador não permitiu a entrada.

Em 45 residências foram encontradas larvas do mosquito Aedes. Os agentes aplicaram veneno para eliminar os criadouros.

“Hoje, em função da dengue, verificar possíveis criadouros deve ser uma ação diária, assim como escovar os dentes e tomar banho. Combater o mosquito deve fazer parte do nosso cotidiano, já que a dengue pode matar”, completou o educador Marco Sanchez.