Investigado pela morte de André Luís Anderlini Navarro alegou ter sido agredido com coronhadas e se defendeu

O acusado de ser o responsável pela morte de André Luís Anderlini Navarro, 37 anos, homicídio ocorrido no final da manhã da última sexta-feira (17), em Araçatuba (SP), se apresentou à polícia na segunda-feira (20) e alegou legítima defesa.

A vítima foi ferida por disparo de arma de fogo e teve a morte constatada por equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), após ser encontrada caída na rua, nas imediações da residência do investigado, no bairro Aclimação.

Em vistoria pelo imóvel, a perícia recolheu uma faca e foram apreendidas várias porções de drogas, inclusive drogas sintéticas. O investigado alegou que esses entorpecentes seriam da vítima.

Segundo o que foi apurado pelo Hojemais Araçatuba , o investigado tem 34 anos e mora na residência na rua Brigadeiro Tobias. Ele se apresentou à polícia acompanhado de um advogado e confessou ser o autor dos disparos que mataram Navarro.

Coronhadas

Na versão do investigado, a vítima foi procurá-lo já de posse de uma arma de fogo. Ele disse que estava dormindo quando Navarro entrou na residência, ficou sobre ele e passou a agredi-lo com coronhadas na cabeça. Ao ser acordado ele disse que virou-se e conseguiu derrubar Navarro, que teria deixado a arma cair.

Ele teria se apossado da arma e efetuado três ou quatro disparos. Em seguida, mesmo ferida, a vítima teria conseguido tomar a arma da mão dele e tentado atirar, mas não havia mais munições.

O investigado disse que correu e pegou uma faca, enquanto a vítima teria fugido pelos fundos do imóvel, levando a arma de fogo consigo. Testemunhas ouvidas no local disseram à polícia ter ouvido disparos de arma de fogo e visto Navarro fugir pulando o muro do fundo, enquanto o acusado do crime teria deixado o imóvel pulando o muro da frente.

Ele estaria com uma das mãos enfaixadas. A arma usada no crime não foi localizada pela polícia.

Fonte: Hojemais