Daniel Muñoz, do Atlético Nacional, é o principal alvo da diretoria para a posição

Daniel Muñoz, lateral-direito do Atlético Nacional — Foto: Reprodução/Atlético Nacional

Daniel Muñoz, lateral-direito do Atlético Nacional — Foto: Reprodução/Atlético Nacional

Ainda que considere muito complicada a negociação, o Palmeiras não desistiu de ter Daniel Muñoz, do Atlético Nacional. A diretoria segue em busca de um lateral-direito e tem o colombiano de 23 anos como principal alvo. Mesmo que a contratação demore mais do que esperado.

Há muitos pontos considerados difíceis, porém. Além do imbróglio envolvendo o atacante Miguel Borja (cuja compra ainda não foi totalmente quitada pelo Palmeiras e que atualmente está emprestado ao Junior Barranquilla), o clube de Medellín não está disposto a abrir mão do lateral neste momento.

Na segunda semana de fevereiro, o clube enviou à Colômbia seu diretor executivo de futebol, Anderson Barros, e o advogado Leonardo Holanda, para negociar pessoalmente. Já nos últimos dias, a informação foi de que Muñoz não seria liberado antes do meio do ano.

Por esse motivo, o Palmeiras fechou na sexta-feira a lista de 30 inscritos para a fase de grupos da Libertadores com apenas dois reforços: o atacante Rony e o lateral-esquerdo uruguaio Matías Viña. A estreia no torneio será na quarta-feira, diante do Tigre, na Argentina.

Substituições na lista original da competição sul-americana só podem ser feitas nas oitavas de final (troca de até cinco nomes), quartas de final (dois nomes) e semifinais (dois nomes). Mas as oitavas começam justamente depois do meio do ano, no final de julho.