Tricolor acumula segunda derrota consecutiva no Brasileirão e pode se complicar na liderança

Se a derrota para o Bragantino havia ligado um sinal de alerta no São Paulo no Campeonato Brasileiro, a derrota por 1 a 0 para o Santos, no último domingo, no Morumbi, fez esse sinal ter uma luz ainda mais forte.

Diante de um Santos inteiro reserva e recheado de garotos, o líder do Brasileirão não conseguiu se impor, pouco fez para chegar à vitória e, de quebra, viu Jobson colocar pressão pelos lados do Morumbi.

Pela primeira vez neste Brasileirão o São Paulo foi derrotado duas vezes consecutivas. E isso acontece em um momento crucial da competição, em sua reta final, e com pelo menos quatro times atrás do Tricolor com chances reais de tirar a liderança – entre eles o Internacional, que venceu o Goiás e agora está a apenas três pontos de distância.

Após a eliminação para o Grêmio, na Copa do Brasil, a equipe comandada por Fernando Diniz não se encontra em campo. Depois de chegar no topo da tabela e abrir sete pontos com um futebol bonito, muitas vezes elencado como o melhor do Brasil, e de muita efetividade, o São Paulo parece ter se perdido no meio do caminho.

Contra o Bragantino, o grande problema foi o sistema defensivo. Sem Luan, Tchê Tchê foi o responsável por assumir a função de primeiro volante. Isto, aliado à ausência de Arboleda entre os titulares, culminou em uma pane na defesa – e o Tricolor sofreu quatro gols pela primeira vez no Brasileirão.

O nervosismo no banco de reservas naquela ocasião deu um panorama de que havia algo de errado no São Paulo. O duelo contra o Santos, então, seria a chave de mudança para a equipe.

No entanto, o Tricolor não deu a reviravolta aguardada. Muito pelo contrário. Mostrou mais uma vez deficiências que até então não tinham aparecido no Brasileirão e saiu derrotado em um jogo fundamental na corrida pelo troféu.

Até sofrer o gol, com um minuto do segundo tempo, o São Paulo tinha criado poucas chances de gol. Sem Luciano no ataque, Pablo foi o escolhido e (mais uma vez) não correspondeu.