Estão prevendo a queda do premiê do Reino Unido nesta quinta os jornais The Telegraph, The Times, Independent, The Sun, Mirror e The Guardian, além das redes Sky e BBC.

A imprensa britânica dá como certa a renúncia do primeiro-ministro Boris Johnson, que vive uma crise de consequências imprevisíveis, iniciada com um escândalo sexual envolvendo Chris Pincher, um parlamentar conservador muito próximo ao premiê. Vários meios de comunicação informam que o prêmiê vai entregar o cargo nesta quinta-feira (7).

A mídia britânica Sky e a BBC informam que o primeiro-ministro concordou em desistir do cargo, encerrando um impasse sem precedentes no Reino Unido. Também estão prevendo a queda do premiê os jornais The Telegraph, The Times, Independent, The Sun, Mirror e The Guardian.

“Boris Johnson vai renunciar como líder do Partido Conservador hoje”, postou o editor político da BBC, Chris Mason, no Twitter.

Boris Johnson fará ainda nesta quinta uma declaração à nação, informou um porta-voz de seu escritório em Downing Street.

Johnson vem se segurando no poder apesar da renúncia em série de seus principais ministros.

Nesta quinta, o homem que ele nomeou há 48 horas como ministro das Finanças, Nadhim Zahawi, pediu publicamente que Johnson “fosse embora”.

Zahawi diz que a crise que envolve o governo só vai piorar. “Isso não é sustentável e só vai piorar, para você, para o Partido Conservador e o mais importante para todo o país”, postou Zahawi no Twitter depois que mais de 50 ministros e assessores renunciaram ao governo.

“Você deve fazer a coisa certa e ir agora”, escreveu Zahawi.

Zahawi disse que foi ao escritório do primeiro-ministro em Downing Street, na noite de quarta-feira, com colegas de gabinete, para dizer a Johnson para ele “sair com dignidade”.

O secretário de Defesa, Ben Wallace, também pediu que Johnson renunciasse, mas afirmou que permanecerá em seu papel de proteger a segurança nacional.