Araçatuba está apta para atender casos de coronavírus, diz prefeitura


A Prefeitura de Araçatuba afirmou na tarde de ontem (28) para a Folha da Região , que a saúde do município está preparada para identificar e atender eventuais casos de coronavírus. O novo vírus ataca o sistema respiratório e se espalhou a partir da região de Wuhan, na China, preocupando todo o planeta. Ele pertence à família dos coronavírus, um grupo que reúne desde agentes infecciosos que provocam sintomas de resfriado até outros com manifestações mais graves, como os causadores da Sars (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

Ainda, de acordo com a administração municipal, os serviços de saúde do município tem ciência do sinais e sintomas e estão aptos para os encaminhamentos necessários. A recomendação é de que a pessoa que sentir algum dos sintomas e que tenha viajado pra fora do país recentemente, ou tido contato com quem viajou, procure o serviço de saúde mais rápido possível, ou seja, as Unidades Básicas de Saúde ou o Pronto Socorro Municipal.

“Se precisar viajar à China, ou a algum país que já teve casos confirmados, é preciso evitar a cidade foco e sempre usar máscaras. A precaução deve ser feita da mesma maneira quando se apresenta um quadro gripal e para qualquer infecção respiratória viral. Lavar bem as mãos, não levar a mão aos olhos e à boca sem lavá-la, e tomar cuidado com as secreções respiratórias”, diz a nota.

De acordo com as investigações ainda em andamento, o novo coronavírus, que afeta mais de 4 mil pessoas e matou pelo menos 100 até o momento, pode ter origem em serpentes ou morcegos — inclusive se especula que a ingestão de um desses animais teria originado o surto. Apesar de um estudo chinês ter encontrado uma relação do novo coronavírus com cobras, não existe consenso entre os cientistas sobre a origem da doença. Muitos apostam que outro animal possa estar envolvido com o início do problema na China.

Com o aumento do nível de alerta pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em relação ao risco global do coronavírus, viagens à China só devem ser feitas em casos de extrema necessidade, de acordo com o Ministério da Saúde. O vírus já chegou a pelos menos 16 países: China, Tailândia, Austrália, Singapura, Taiwan, EUA, Japão, Malásia, Coreia do Sul, França, Vietnã, Camboja, Canadá, Alemanha, Nepal e Sri Lanka.

Sem vacinas contra o novo vírus, a principal forma de prevenção contra o coronavírus ainda é adiar viagens à China, segundo o diretor da divisão médica do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Ralcyon Francis Azevedo Teixeira. “Se não for possível evitar viajar para a área de risco, é importante tentar ficar longe de pessoas que estejam tossindo, evitar contatos próximos com outras pessoas e lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou usar álcool gel”, diz. Máscaras do tipo N95 são capazes de proteger as vias respiratórias de aerossóis sólidos, segundo o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA.