No primeiro ano de Duilio Monteiro Alves, melhor notícia é que a dívida de R$ 1 bilhão parou de aumentar. Apesar de avanços no marketing e em campo, projeto ainda não se provou sustentável

No Grande Círculo de fevereiro deste ano, o apresentador Milton Leite encerrou o programa querendo saber de Duilio Monteiro Alves o que ele gostaria de ouvir do pai e do avô ao fim de seu mandato, em 2023, como presidente do Corinthians. O que deixaria os corintianos orgulhosos?

– Não pensando em título, seria escutar que a gente conseguiu colocar a parte financeira em ordem, que o Corinthians não tem mais nenhum tipo de dificuldade para honrar suas dívidas. Não que a gente tenha a dívida paga, porque isso é praticamente impossível de acontecer nos próximos dois anos, mas que o próximo presidente pegue o clube com a parte financeira mais saudável – respondeu o dirigente.

Duilio disse várias vezes, no decorrer da entrevista, que os números do balanço mais recente, referente a 2021, mostrariam que o trabalho começou a dar resultados. O dirigente tem reestruturado o clube desde que assumiu, com apoio de consultorias como Falconi e KPMG.

O ge passa pelas demonstrações contábeis mais recentes, citadas por Duilio na época da entrevista, para conferir a situação das finanças alvinegras. Esta reportagem faz parte da série anual sobre as finanças do futebol brasileiro, com números correspondentes ao ano passado.