Autoridades acreditam que ato não tem relação com terrorismo. Ataque deixou, até o momento, três mortos e quatro feridos em estado crítico.

O homem de 22 anos que atirou em um shopping center de Copenhague, na Dinamarca, neste domingo (3) provavelmente agiu sozinho e selecionou suas vítimas aleatoriamente, disse a polícia dinamarquesa nesta segunda-feira (4). Três pessoas morreram e quatro ficaram gravemente feridas na ação.

Os investigadores não acreditam que o ataque esteja relacionado a terrorismo, disse o inspetor-chefe da polícia de Copenhague, Søren Thomassen. Ainda de acordo com a polícia, o suspeito tem histórico de problemas de saúde mental.

O homem deve comparecer a um tribunal nesta segunda-feira para responder por acusações de assassinato.

Os mortos são um menino de 17 anos, uma menina de 17 anos – ambos dinamarqueses – e um russo de 47 anos. As quatro outras pessoas baleadas – dois suecos e dois dinamarqueses – estão em estado crítico, mas estáveis, segundo a polícia.

A rede de televisão dinamarquesa TV2 publicou uma foto de baixa qualidade do suposto agressor, que usava shorts na altura do joelho, colete sem mangas ou camiseta, e parecia estar segurando um rifle na mão direita.

Em entrevista à GloboNews, o jornalista brasileiro Joseph Dana, que estava no local, afirmou que os tiros aconteceram na área da Praça de Alimentação do shopping, e causaram correria e pânico.

‘Ataque aconteceu na praça de alimentação’, afirma brasileiro testemunha de tiros na Dinamarca
A primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, disse que o país escandinavo sofreu um “ataque cruel”. “É incompreensível. De partir o coração. Sem sentido. Nossa bela e geralmente tão segura capital foi alterada em uma fração de segundo”, disse, segundo a AP.

O cantor britânico Harry Styles deveria se apresentar no final da noite, às 20h local (15h no horário de Brasília), em uma casa de shows a menos de 1,6 km do shopping. Segundo a imprensa europeia, o show foi cancelado devido ao episódio.

Segundo a promotora do show, Live Nation, em comunicado enviado por e-mail à agência Reuters, a apresentação acontecerá conforme programado, após autorização da polícia local. Metade do público já teria entrado na área prevista para o show.