Segundo colocado na eleição é apontado como fiel da balança na política do Timão

O empresário Augusto Melo, de 54 anos, foi derrotado em sua primeira eleição como candidato à presidência do Corinthians, mas saiu fortalecido do pleito. Tanto é que o presidente eleito, Duilio Monteiro Alves, e seu grupo político já ensaiam uma aproximação nos bastidores e não descartam a presença de Augusto ou de pessoas indicadas por ele na diretoria a partir de 2021.
Após mais de um ano de campanha no Parque São Jorge, Augusto mostrou força política não apenas por ser o segundo mais votado, à frente do ex-presidente Mario Gobbi, mas também por eleger uma chapa ao Conselho Deliberativo e emplacar outras duas como suplentes.
Assim, Augusto passou a ser visto como “fiel da balança” por membros da situação e da oposição. A composição do Conselho do Timão a partir de 2021 terá:
• 4 chapas que apoiam Duílio;
• 2 chapas de oposição, ligadas a Mario Gobbi;
• 1 chapa que ficou independente na eleição, mas deve fazer oposição a Duílio;
• 1 chapa que apoiou Augusto.

Se esta última chapa se posicionar como oposição, as votações no órgão tendem a ser extremamente acirradas. Além disso, é possível que alguns suplentes sejam chamados para substituir membros da situação que devem ser convidados para integrar a diretoria.
O Conselho é responsável, entre outras atribuições, por votar os orçamentos e balanços financeiros do clube. Em caso de reprovação, pode ser aberto um processo de impeachment contra o presidente.