O dia 19 foi o Dia Nacional de Doação de Leite Humano e o início da Semana Nacional da Doação de Leite Humano. A Santa Casa de Misericórdia de Araçatuba, como referência em UTI Neonatal e a grande demanda de bebês prematuros internados que atende, conta com o Banco de Leite para auxiliar no crescimento e desenvolvimento dessas crianças. Instalado no terceiro andar do prédio, o banco funciona todos os dias das 7h às 17h.

Atualmente, o banco conta com mais de 40 doadoras cadastradas e recebe uma média de 70 litro de leite materno por mês. Entretanto, a demanda atual é de 110 litros por mês, ou seja, um déficit de 40 litros.

O doutor Giulio Stanco Coscina Neto comentou que o hospital atualmente também atende o Hospital da Mulher, tendo assim um grande volume de partos e cesárias realizadas. “A Santa Casa é referencia em UTI Neonatal e há uma grande demanda de bebês prematuros aqui. Às vezes, a mãe não tem leite suficiente para fornecer à criança, então o banco tem o objetivo de ajudar esses bebês prematuros”, disse o médico.

O hospital está sendo credenciado pela a Rede Cegonha, que é um programa do Ministério da Saúde que busca humanizar a gravidez e o parto. “Isso vai revolucionar a questão do parto humanizado aqui na Santa Casa”, acrescentou.

Mereillen de Almeida é enfermeira supervisora e coordenadora do Posto de Coleta, ela explicou que antigamente, atendiam de 4 a 5 mães por dia para poder suprir a quantidade de leite que os bebês internados precisavam. “A quantidade não era o suficiente, porque trabalhávamos com leite cru e tirávamos o leite, reservávamos e depois fracionávamos para a criança. Hoje, com o Posto de Coleta, atendemos mães da UTI e do alojamento conjunto”, disse a coordenadora.

Para os bancos, tanto de sangue quanto de leite, que dependem de doadores para atender à demanda, os meses mais frios, que marcam o outono e o inverno, assim como os períodos de férias são quando o número de doadores cai drasticamente.

“O hospital é de alta complexidade e atendemos muitos municípios, então toda a equipe teve a iniciativa sobre o Posto de Coleta. Para nós, 1ml salva vidas. Isso é bastante para um bebê de 500 gramas, que são nossa maior demanda”, acrescentou a coordenadora.

Duas funcionárias do Banco de Leite passam todos os dias nos quartos das mães do Hospital da Mulher e falam sobre a importância de doar o leite. “Hoje já conseguimos de 15 a 20 mães diariamente, então dá até 1 litro e 200 ml de leite”, acrescentou. No hospital há mais de 20 leitos da UTI Neonatal e 10 de cuidados intermediários, que é onde a mãe começa a oferecer o leite já direto do seio.

A pediatra e neonatologista Rháisa Bizio informou que o leite materno é fundamental para o recém-nascido. Segundo a médica, o leite diminui o risco de mortalidade, reduz o tempo na UTI Neonatal, ajuda no desenvolvimento da criança e diminui os riscos de infecções. “Tudo que um recém-nascido precisa nos primeiros meses de vida é do leite materno. Nosso grupo aqui é de recém-nascidos de risco e prematuros extremos, que são os menores de 29 semanas, além dos de baixo peso que são os com o peso de nascimento menor que 2,500 kgs”, disse.

Ela acrescentou também que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui o mais complexo Banco de Leite do mundo e isso é um grande estímulo.

Simara de Melo é doadora e mãe de uma bebê de menos de 1 mês de vida. Ela comentou que acha importante doar o leite, porque muitas crianças precisam. “Ajuda no crescimento delas e nós nos sentimentos bem com isso. Cada gotinha que dou, é essencial. Cada pouco que doamos, é importante para o desenvolvimento do bebê. Nós temos nosso bebezinho prematuro e sabemos que é importante”, disse.

A bebê de Brenda Viana de Almeida completa 1 mês neste domingo (19) e para ela, a realização é o sentimento ao poder colaborar com a doação. “Cada gotinha é um milagre. Eu tenho pouco leite, então entendo. Me aconselharam a tomar bastante água, que é essencial para dar bastante leite e eu estou tentando”, disse.

EM CASA

A doadora não precisa sair de casa em nenhum momento, nem para se cadastrar. Há uma equipe do banco de leite que vai até as residências para explicar como fazer a doação, a ordenha, o armazenamento e para recolher os vidros com o leite congelado, semanalmente. Todos os cuidados são tomados para que o leite chegue com qualidade e venha de mães em perfeitas condições de saúde.

O leite recebido pelo banco é destinado aos bebês segundo critério de urgência.

RECONHECIMENTO

Para as doadoras que hoje estão ativas no banco de leite de Araçatuba, no dia 24 de maio (quinta próxima) haverá um café da tarde. Com a intensificação das ações neste mês, todas as doadoras receberão troféus pelo ato de desprendimento e amor. É um reconhecimento simbólico ao ato de doar. Desde o início do mês, todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) contam com reuniões para gestantes com a presença de uma doadora que faz relato da sua experiência.