Meta é imunizar 90% do grupo prioritário, que tem 79,7 milhões de pessoas. Orientação do Ministério da Saúde é tomar 1º a vacina contra a Covid e, 14 dias depois, a vacina contra a gripe.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o vírus da gripe, começa no dia 12 de abril e vai até 9 de julho. O público-alvo é estimado em 79,7 milhões de brasileiros, e a meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários.

Os grupos prioritários serão distribuídos em três etapas, de forma escalonada. Neste ano, a vacinação vai começar por crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Depois, será a vez dos idosos e dos professores (veja abaixo quem faz parte dos grupos prioritários e as datas das três etapas de vacinação).

A campanha de vacinação contra a gripe vai coincidir com a imunização contra a Covid-19. O Ministério da Saúde não recomenda a aplicação das duas vacinas simultaneamente, devido à falta de estudos sobre a coadministração dos imunizantes, e a orientação é priorizar a vacinação contra o novo coronavírus.

O governo federal recomenda que as pessoas que fazem parte do grupo prioritário tomem primeiro a vacina contra a Covid-19 e depois a vacina contra a gripe, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre elas.
Importância da vacinação
O ministério diz que a imunização contra a gripe é extremamente importante para a proteção dos grupos mais vulneráveis às complicações e óbitos decorrentes da doença, por isso deve ser mantida apesar de todos os desafios frente à circulação do novo coronavírus.

Segundo a pasta, a imunização contra a gripe vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

Grupos prioritários
A OMS (Organização Mundial da Saúde) definiu como grupos de elevada prioridade para a vacinação os profissionais da área da saúde e os idosos. Em seguida, sem ordem de prioridade, vêm as crianças de 6 meses a 5 anos, as gestantes e os portadores de determinadas doenças crônicas.

No Brasil, outros grupos também serão contemplados na campanha deste ano. Fazem parte do grupo prioritário, segundo o Ministério da Saúde:

Crianças entre 6 meses e 6 anos de idade
Gestantes e puérperas
Povos indígenas
Trabalhadores da saúde
Idosos com 60 anos ou mais
Professores das escolas públicas e privadas
Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
Pessoas com deficiência permanente
Forças de segurança e salvamento
Forças Armadas
Caminhoneiros
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
Trabalhadores portuários
Funcionários do sistema prisional
Adolescentes e jovens entre 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
População privada de liberdade