Caso Rony: Corinthians tem 1 dia para conseguir dinheiro e Palmeiras só aguarda

O Corinthians tem esta quinta-feira para colocar no papel a proposta já tratada em conversas informais com Athletico-PR e Rony. A Gazeta Esportiva apurou que os representantes do atacante vão se reunir com o clube paranaense na sexta-feira para definir de uma vez por todas o desfecho das negociações.

O retardamento da decisão final foi justamente um pedido do Corinthians, que corre contra o tempo para conseguir, junto ao Banco BMG, a liberação do dinheiro a ser investido em Rony.

Foto: Rony tem 24 anos e não deve ser utilizado pelo Athletico até definir seu futuro (Foto: CAP)
Luis Augusto Carvalho, conhecido por Luisinho Piracicaba, é o intermediário corintiano, foi o responsável por representar o clube alvinegro em Curitiba e agora está em Portugal com a missão de conseguir a liberação da verba. Para isso, Luisinho levou na mala documentos e garantias.

Caso o dinheiro seja liberado, o Corinthians oficializará imediatamente a intenção em contratar Rony. Termos, condições, salário, tudo já está combinado. A proposta pode sofrer um ajuste ou outro, mas está alinhada.

PALMEIRAS IN LOCO
Conforme a Gazeta Esportiva antecipou que aconteceria, o diretor de futebol do Palmeiras Anderson Barros esteve em Curitiba nessa quarta. O dirigente conversou pessoalmente com Mario Celso Petraglia, responsável pelas decisões no rubro-negro paranaense, e também falou por telefone com os representantes de Rony.

Barros é muito bem visto pelas pessoas envolvidas no negócio, foi recebido com cordialidade e sua presença serviu mais para mostrar respeito com a negociação e o tamanho do desejo palmeirense em executar a compra. Ciente da intenção corintiana, Petraglia preferiu não definir nada precocemente e aguardar mais um pouco.

A proposta não sofreu alteração em relação ao que já vinha sendo tratado antes. A oferta é de 6 milhões de euros por 50% dos direitos econômicos do atleta. O salário de Rony praticamente triplicaria e as luvas seriam de 500 mil dólares.

O presidente Maurício Galiotte, inclusive, falou sobre o assunto após a partida do time em Itu.