Confirmada duas mortes por dengue em Birigui; Saiba o que a administração está fazendo

A Secretaria de Saúde de Birigui confirmou dois óbitos por dengue em 2019. De 1º de janeiro até o momento, Birigui registrou 2.120 notificações. O município conta com 1.489 casos prováveis, sendo 622 casos positivos e 867 casos em investigação.

A Vigilância Epidemiológica concluiu os processos de investigação dos três óbitos suspeitos e nesta segunda-feira, 25, foi confirmado o falecimento por dengue de um senhor de 78 anos e uma moça de 24 anos.

“Estamos sensíveis aos óbitos, porém aproveitamos para lembrar a população sobre os perigos da dengue. Temos que unir forças para combater o mosquito Aedes”, disse a secretária municipal de Saúde, Marian Nakad.

O primeiro paciente confirmado é do sexo masculino. Aposentado, ele faleceu aos 78 anos. Morador do bairro Ivone Alves Palma, teve o início dos sintomas em 5 de fevereiro. O paciente apresentava outras comorbidades e foi internado na Santa Casa de Birigui. Ele faleceu no dia 16 de fevereiro.

O segundo caso confirmado é de uma paciente do sexo feminino, de 24 anos. Ela era auxiliar administrativa e morava do bairro Quemil. O início dos sintomas foi registrado dia 18 de fevereiro. Ela foi internada na Santa Casa de Birigui e transferida para a Santa Casa de Araçatuba, evoluindo a óbito dia 22 de fevereiro.

Um terceiro caso também foi investigado, de uma senhora de 60 anos, porém foi descartado para a dengue.

Os dois óbitos ocorreram em bairros onde os números de notificações de dengue são maiores: ambos ficam na região leste da cidade, onde a Prefeitura de Birigui já realizou atividades de limpeza e conscientização.

Na manhã desta terça-feira, 26, os educadores em saúde pública, Marco Sanchez, e Rosilene Montanholi, e a diretora da Vigilância Epidemiológica, Mauricéia Gonçalves, atenderam os veículos de comunicação que noticiaram os óbitos.

CASA A CASA – Segundo a equipe da Secretaria Municipal de Saúde, além das visitas diárias dos agentes, uma força-tarefa foi montada para a visitação casa a casa.

A força-tarefa será feita em quatro sábados: já foi feita nos sábados dias 16 e 23 de março e segue nos próximos sábados (30 de março e 6 de abril). Noventa agentes visitarão as residências das 7h30 às 13h30.

“Já visitamos, nos dois primeiros sábados dos arrastões, mais de 4 mil residências. Infelizmente muitas delas estão fechadas. Já em outras os proprietários não aceitam a entrada do agente”, falou Marco Sanchez.

Segundo ele, para combater o mosquito transmissor da dengue, o Aedes, é necessário o total apoio da população. “O apoio da população é prioritário e fundamental. Sem esse apoio não conseguiremos vencer o mosquito. Atualmente limpar as residências e tomar cuidado com o Aedes virou rotina, é como escovar os dentes: temos que fazer todos os dias”, frisou o educador