Conselho Fiscal cita aumento do déficit em R$ 44 milhões e cita comprometimento de direitos de jogador; votação acontecerá na próxima segunda-feira

O Conselho Fiscal do Santos pede a reprovação de contas da gestão José Carlos Peres em 2018 após um déficit de quase R$ 44 milhões (passando de R$ 258 milhões em 2017 para R$ 302 milhões no ano seguinte). A votação ocorrerá na próxima segunda-feira, no Conselho Deliberativo. Os membros do Comitê de Gestão terão espaço para apresentar justificativas.

Em relatório, o Conselho Fiscal cita que algumas receitas ficaram comprometidas para o restante deste ano, como o repasse dos direitos do meia Felipe Anderson, atualmente no West Ham-ING, para pagar parcelas de dívidas com a Doyen Sports.

As rendas no Pacaembu no ano passado também foram criticadas. O Santos esperava lucrar cerca de R$ 17 milhões nas partidas do estádio, mas faturou quase R$ 6 milhões a menos.

Em um ponto do documento, o Conselho cita que até dezembro do ano passado o Santos tinha 131 processos judiciais em andamento e com avaliação de perda de R$ 30 milhões.