Corinthians mostra eficiência ofensiva e defensiva no Campeonato Brasileiro

Após cinco rodadas, o Corinthians segue sendo o líder do Campeonato Brasileiro, com 12 pontos conquistados, dois a mais que o segundo colocado, o Santos. Algumas estatísticas mostram os motivos, mesmo sem apresentar um futebol de encher os olhos em alguns compromissos, de o Timão estar ocupando a liderança da competição.

Até agora, o Corinthians soma quatro vitórias e apenas uma derrota no Brasileirão de 2022, com oito gols feitos e apenas quatro sofridos – três deles no clássico contra o Palmeiras -, com um saldo de quatro tentos. Somente o Peixe tem um saldo maior (seis), enquanto o RB Bragantino tem os mesmos quatro gols.

O time comandado por Vítor Pereira é o primeiro colocado, entre todos os 20 clubes que disputam a Série A, entre os que menos precisam de finalizações para fazer um gol – 4,5. Por outro lado, é o segundo no ranking entre os times com mais finalizações para sofrer um gol – 16,3, segundo o Footstats.

Ainda, o Corinthians é o líder do Brasileirão mesmo sendo a equipe com menos finalizações (7,2) e menos finalizações no alvo (3,2). O que explica a liderança é que o time compensa essas marcas, pois é quem menos precisa finalizar para fazer um gol (4,5), conforme mostrado acima, e quem tem a segunda melhor pontaria na finalização (44%). Para se ter uma ideia, o Santos precisa de 5,2 chutes para balançar as redes, o São Paulo 6,8 e o Palmeiras 11,6.

Isso demonstra eficiência tanto defensiva quanto ofensiva. Na defesa, foram três jogos sem sofrer gols em cinco rodadas e todos os tentos sofridos foram fora de casa, contra Botafogo e Palmeiras. Já na parte ofensiva, apesar de ter vencido os dois últimos jogos pelo placar mínimo, a média é de 1,6 gol/jogo.

A equipe dá um respiro na competição no meio da semana, quando recebe a Portuguesa-RJ na quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil – na ida, o placar foi 1 a 1. Depois, no sábado, o Corinthians volta a jogar pelo Brasileirão, contra o Internacional, no Beira-Rio.