Dados são do Projeto Prodes Cerrado, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

O desmatamento do Cerrado no período de agosto de 2018 a julho de 2019 ficou 2,26% menor, na comparação com o período anterior, mas aumentou 15% dentro de unidades de conservação.

Plantação no cerrado, em Goiás — Foto: Marcelo Nunes

Plantação no cerrado, em Goiás — Foto: Marcelo Nunes

Os dados são do Projeto de Monitoramento do Desmatamento (Prodes) do Cerrado, feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Eles são considerado a taxa oficial de desmatamento do bioma, divulgada uma vez por ano. Na Amazônia, o desmatamento no mesmo período teve aumento de 29,5%.

De acordo com o Prodes, foram devastados 6.483,4 km² no Cerrado. Na Amazônia, foram 9.762 km².

Os dados do Inpe mostram também que foram registrados 517,31 km² de desmatamento em unidades de conservação (UCs) no Cerrado. No ano passado, a taxa de desmatamento nas UCs foi de 449,7 Km² – ou seja, um aumento de 15%. Desde 2016, o Brasil não apresentava índices tão altos de desmatamento em UCs nesse bioma, que passou a ter uma redução após o pico em 2015.

Apesar da leve queda, o Cerrado perde uma cidade de Londres a cada três meses. De acordo com a WWF, o bioma “estabilizou-se em um patamar alto e caminha para um processo de extinção em massa”.

Dados do Prodes apontam queda de 2,26% no desmatamento no Cerrado de agosto de 2018 a julho de 2019  em relação ao mesmo período anterior. — Foto: Elida Oliveira/G1

Dados do Prodes apontam queda de 2,26% no desmatamento no Cerrado de agosto de 2018 a julho de 2019 em relação ao mesmo período anterior. — Foto: Elida Oliveira/G1

“Série histórica indica estabilização na taxa de destruição do Cerrado nos últimos quatro anos em torno de uma média de 680 mil hectares por ano. Mais da metade da área original do bioma já foi convertido para atividades agropecuárias ou uso urbano, e pesquisas apontam que apenas 20% do remanescente encontra-se em condições saudáveis de conservação. Isso torna o Cerrado uma das áreas naturais mais ameaçadas do plane