Prefeitura cede transporte e família viaja na madrugada para Aparecida para trazer restos mortais para serem velados

Foi confirmado oficialmente por exame de DNA, que a ossada encontrada perto do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida é de Berenice dos Santos Silva, 85 anos. A idosa é de Penápolis (SP) e desapareceu durante visita ao santuário em 23 de dezembro de 2017.

A confirmação da identificação foi publicada na segunda-feira (1) por uma filha de Berenice na página dela no Facebook. Um boletim de ocorrência de localização de pessoa foi registrado no mesmo dia, na delegacia de Aparecida.

Nele, consta que a ossada encontrada às margens da linha férrea foi identificado com base em laudo de exame de DNA feito pelo Instituto Médico Legal é de Berenice.

Adalgisa Fernandes da Silva, 47, uma das filhas da idosa, informou ao Hojemais Araçatuba que a Prefeitura de Penápolis cederá o transporte para a família buscar os restos mortais.

Ela, uma irmã e um cunhado devem viajar para Aparecida na madrugada de quarta-feira (3). De acordo com Adalgisa, os restos mortais foram enterrados, por isso, será preciso passar no IML em Aparecida, para obter a liberação para desenterrá-lo e trazer para Penápolis.

A família espera retornar à cidade até quinta-feira para fazer um velório rápido antes do enterro, previsto para a manhã de sexta-feira (5).

Para Adalgisa, a confirmação da identificação traz um pouco de paz para a família. “A gente não estava tendo paz. A esperança para mim só acabou quando confirmaram a identificação, pois ainda esperava que ela estivesse viva”, comentou.

Berenice desapareceu em 23 de dezembro de 2017, durante viagem religiosa ao santuário de Aparecida, na companhia de uma filha e de uma neta. Ela foi vista pela última vez perto do ônibus, descansando.

Ao notar a falta da idosa, tiveram início as buscas, que prosseguiram por vários dias. A ossada foi encontrada apenas seis meses depois, em 21 de junho do ano passado, por funcionários do santuário durante capina em área da linha férrea, a cerca de 2,5 quilômetros da igreja.

Junto havia um óculos, camiseta, joias e dentadura que foram reconhecidos pela família.