São encontradas agulhas, bolsas de sangue, seringas, fraldas e embalagens que estariam contaminadas

Representantes da Prefeitura, da Monte Azul Ambiental e da Cooper Araçá, cooperativa de recicláveis instalada no aterro sanitário municipal de Araçatuba (SP), procuraram a polícia para denunciar o descarte irregular de lixo hospitalar.

Segundo boletim de ocorrência registrado na noite de quarta-feira (19), alguém está promovendo o descarte irregular deste tipo de material diretamente no aterro.

Ainda de acordo com a denúncia, são encontradas agulhas, bolsas de sangue, seringas, fraldas, embalagens diversas que estariam contaminadas, embalagens de medicamentos, entre outros objetos.

Os denunciantes disseram que esse tipo de material pode ocasionar acidentes com os colaboradores da Prefeitura, da Cooperativa e da Monte Azul, além de ocasionar danos ao meio ambiente e risco à saúde pública.

Eles afirmam que o descarte desse tipo de material ocorre há bastante tempo, mas atualmente vem aumentando a frequência e o volume dos descartes.

Por fim, os denunciantes informam que já houve casos de coletores de lixo terem as mãos perfuradas por agulhas desses descartes.

O boletim de ocorrência foi registrado como causar poluição de qualquer natureza e eles querem que a polícia tome providências.

Esta é a segunda vez que um boletim de ocorrência denunciando o descarte irregular de lixo hospitalar no aterro sanitário é registrado.

No último dia 12, representantes da cooperativa de reciclagem instalada no aterro foram à polícia e relataram que esse tipo de material estava sendo enviado para o Centro de Tratamento de Resíduos, junto com resíduos domiciliares, sem a devida triagem.

Um representante da cooperativa confirmou por telefone o recebimento de seringas, bolsas de sangue e fraldões.

Ele disse que o material era deixado na cooperativa junto com outros resíduos coletados na cidade por equipe da Monte Azul Ambiental, empresa responsável pelo limpeza urbana do município.

Fotos do lixo hospitalar recebido para reciclagem foram enviadas para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, para providências.

Na ocasião, a Monte Azul Ambiental informou que foi um caso pontual e tentaria descobrir a região da cidade que foi feito o descarte de lixo hospitalar com outros resíduos.