Chefe do time, Claire Williams diz que operação garante futuro de uma das escuderias mais vitoriosas da história da Fórmula 1

Uma das equipes mais tradicionais e vitoriosas da história da Fórmula 1, a Williams foi vendida para o grupo de investimentos Dorilton Capital. Segundo a chefe do time, Claire Williams, filha do fundador Frank Williams, a operação garante o funcionamento e o futuro da organização num longo prazo.

Fundada em 1969, a Williams iniciou sua trajetória utilizando chassis de outros fabricantes, mas se tornou construtora nos anos 1970. A partir de 1979, com a participação de investidores sauditas, a Williams se tornou uma das potências da F1, tendo conquistado em 1980 seus primeiros títulos de construtores e pilotos, com Alan Jones. No início da década, a equipe foi bi de construtores (1981) e novamente campeã de pilotos (1982, com Keke Rosberg)

Outros momentos importantes foram as parcerias com Honda e Renault para fornecimento de motores, coroadas com os títulos de pilotos em 1987 (Nelson Piquet), 1992 (Nigel Mansell), 1993 (Alain Prost), 1996 (Damon Hill) e 1997 (Jacques Villeneuve). No período, a Williams foi campeã de construtores em 1986, 1987, 1992, 1993, 1994, 1996 e 1997.

De 2000 a 2005, a Williams se manteve competitiva com uma parceria com a BMW, mas na época Frank Williams não quis vender sua equipe à montadora alemã. Desde então, a equipe entrou em declínio e obteve apenas uma vitória, com Pastor Maldonado no GP da Espanha de 2012.

No começo da era híbrida, em 2014, a Williams teve um renascimento com Valtteri Bottas e Felipe Massa, com os motores Mercedes.