Prefeito fez live nesta tarde e argumentou que o problema é consequência da pandemia e ocorre em outros os hospitais

O ex-vereador José Fermino Grosso foi à polícia neste domingo (7) e registrou um boletim de ocorrência, devido à falta de medicamentos no pronto-socorro da cidade. O principal deles, segundo o ex-parlamentar, seria o sedativo.

No registro ele informa que após ser comunicado do problema esteve no pronto-socorro e foi informado que havia três pacientes entubados sem sedativo. Além disso, de acordo com a denúncia, outros 15 pacientes estariam na emergência com risco de serem entubados nas mesmas condições.

Fermino apresentou ainda uma lista com os nomes de outros medicamentos que estariam em falta, como Profenid, sulfato de magnésio, Trebutalina, Polissix, Etomidato, Fentanil, além do equipamento médico chamado espaçador.

Em falta

O prefeito de Birigui, Leandro Maffeis (PSL), fez uma live também neste domingo e confirmou que há medicamentos em falta no pronto-socorro, mas argumentou que o problema ocorre em outros hospitais, devido ao aumento da demanda por conta do agravamento da pandemia.

A live teve a participação do médico intensivista Otávio Augusto de Castilho, que é coordenador da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) geral da Santa Casa e do Hospital Unimed de Birigui.

Segundo o médico, na tarde de hoje os dez leitos de UTI covid da Santa Casa da cidade estavam ocupados e havia outros dois pacientes em tratamento intensivo no hospital aguardando vagas para transferência.

Ele explicou que se surgisse mais um paciente com necessidade de UTI, ele teria que permanecer no pronto-socorro, pois o hospital não teria como recebê-lo.

Fonte: Hojemais