Estado registrou maior número de internados em UTI com Covid-19 desde o início da pandemia. Comitê de saúde diz que aumento está relacionado a gravidade dos casos, que eleva o tempo de permanência nos leitos e recomendou endurecimento da quarentena. Mudanças serão apresentadas às 12h45.

O governo de São Paulo deve anunciar medidas de endurecimento da quarentena em todo o estado nesta quarta-feira (24). A expectativa é a de que sejam determinadas restrições de circulação durante a noite em todo o estado, que passam a valer a partir desta sexta-feira (26).

As mudanças ocorrem após o estado registrar, segundo dados da gestão estadual, maior número de pacientes com Covid-19 internados em UT desde o início da pandemia.

“O que nós estamos estudando neste momento é exatamente esse modelo de restrição de circulação, principalmente noturna. O mundo inteiro está trabalhando nesta direção. Nós vimos países como Alemanha, Reino Unido e Espanha, e mesmo em estados brasileiros agora, Ceará, Amapá, Bahia e Rio Grande do Sul”, disse a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Elllen, em entrevista ao Bom Dia SP nesta quarta (24).

A secretária defende que a restrição de circulação após as 22h evita aglomerações em bares, restaurantes e eventos clandestinos, e que já teria impacto na redução da taxa de contaminação.

“A circulação restrita passa uma mensagem clara para a população também que é o momento de se ficar em casa”.

Ainda de acordo com Patrícia Ellen, as alterações não devem impactar no funcionamento das escolas.

“Nós estamos defendendo a retomada das aulas, os protocolos são adequados. (…) Estamos realmente naquele momento de inflexão, de aprender a retomar as aulas ao mesmo tempo que temos que controlar a pandemia”, disse ela.

Comitê de saúde
Na avaliação do comitê de saúde do governo, o aumento atual no número de internados em UTI está relacionado a um maior período de internação dos pacientes, o que pode sugerir uma maior gravidade da doença entre os contaminados no estado.

“O centro de contingência apresentou ao governador algumas recomendações extraordinárias, além daquilo que está previsto no Plano são Paulo. O governo está fazendo a análise dessas recomendações, e essas medidas serão anunciadas na quarta-feira, para já começarem a valer na sexta-feira”, disse o coordenador-executivo do comitê de saúde do governo, João Gabbardo na última segunda (22).

As restrições serão complementares ao previsto pelo Plano São Paulo, que divide o estado em sub-regiões e determina restrições diferentes de acordo com a fase da quarentena em que se encontra cada área.

Atualmente, segundo a última atualização feita na sexta-feira (19), apenas quatro regiões do estado (Araraquara, Bauru, Barretos, Presidente Prudente) estão na fase vermelha, em que somente serviços essenciais são autorizados a funcionar.

A Grande São Paulo, que inclui a capital, está na fase amarela, em que restaurantes e comércio podem funcionar até 22h.