Medida entra em vigor a partir de 1º de julho e HM fará apenas coleta para exames de covid-19 e dengue

A Secretaria Municipal de Saúde de Araçatuba (SP) comunicou na tarde desta quarta-feira (22), que a partir de 1.º de julho, o Hospital Municipal, antigo Hospital da Mulher, passará a atender apenas com coleta para exames de covid-19 e dengue. A partir desta data, os demais serviços serão transferidos para as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município.

Pela manhã o Hojemais Araçatuba havia encaminhado e-mail para a assessoria de imprensa da Prefeitura pedindo informações sobre o fechamento do HM. O questionamento foi feito após publicação na rede social feita por uma munícipe, informando que os funcionários já estariam cumprindo aviso prévio.

Segundo a administração municipal, a suspensão das atividades no Hospital Municipal deve-se ao término em 30 de junho, do contrato temporário com a OSS (Organização Social de Saúde) Associação Mahatma Gandhi.

A secretária municipal de Saúde, Carmem Guariente, argumenta que o HM é tido como uma carta-coringa para a Saúde municipal e com o fim do contrato, ele seguirá equipado e preparado para retornar às atividades emergenciais, caso necessário.

Contrato

A secretária explica que no período da pandemia foram realizados vários termos aditivos Covid para atender a situação epidemiológica no HM, incluindo este contrato com a Mahatma Gandhi, para atendimento ambulatorial de casos sintomáticos respiratórios e suspeitos de dengue.

Ele prevê a locação de carro e funcionamento do hospital de segunda a sexta-feira até as 23h e aos sábados, domingos e feriados até as 19h.

Carmem explica que com relação ao aviso prévio aos funcionários, a contratação temporária para o trabalho na unidade é responsabilidade da Mahatma Ghandi, conforme o plano de trabalho.

Reforço nas UBSs

Com o fim do contrato para atendimento no HM, os demais serviços prestados no local serão absorvidos pelas UBSs. Para isso, serão investidos R$ 500 mil para contratar equipes que atenderão os serviços agora descentralizados até dezembro. Esse dinheiro foi destinado para atendimento a casos de covid-19.

As unidades com horário estendido, como a do Pedro Perri, Planalto e Umuarama 1, terão a contratação de mais um médico com demanda livre no período noturno, com apoio administrativo e de enfermagem.

Também haverá reforço em algumas unidades com equipe de enfermagem para coleta de exames para covid-19 e dengue, para facilitar o atendimento à população.

“O ideal é que esteja mais próximo das pessoas. Muitos não conseguiam ir para o hospital, ficavam esperando horas em uma única unidade de saúde, sendo que temos pontos que são estratégicos, justamente nessas unidades preparadas”, argumenta Carmem.
Fonte: Hojemais