Funcionários dispensados pela Santa Casa de Birigui estariam trabalhando desde o início da semana sem registro em carteira

Funcionários terceirizados do pronto-socorro de Araçatuba (SP) ameaçaram suspender as atividades no início da tarde desta sexta-feira (8), após desentendimento de um representante da equipe de enfermagem com a direção indicada pela nova OSS (Organização Social de Saúde) que gerencia o serviço.

Segundo o que foi apurado pela reportagem, o IMG (Instituto Multi Gestão), que assumiu o serviço por meio de contrato emergencial no domingo (3), não teria registrado os trabalhadores que foram demitidos pela antiga gestora, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui. Eles estariam trabalhando desde o início da semana sem a carteira assinada.

Além disso, há informações de que a nova gestora pretende reduzir os salários dos trabalhadores. Ainda de acordo com o que foi apurado pela reportagem, ao questionar o novo diretor do PS por parte da OSS a respeito dessa situação, o representante da equipe de enfermagem teria sido destratado.

Paralisação

Diante disso, o atendimento por parte dos terceirizados foi momentaneamente suspenso, inclusive por parte da equipe médica. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também está sob gestão o IMG e os funcionários estariam na mesma situação.

A reportagem tentou falar com os funcionários terceirizados, mas nenhum deles quis dar entrevista. Informalmente, a pessoa que teria ido falar com a direção indicada pela OSS confirmou que foi destratada ao pedir informações sobre a contratação dos funcionários. A informação apurada pela reportagem é que esse funcionário colocou o cargo à disposição.

Atendimento

A reportagem chegou no pronto-socorro pouco antes das 14h e havia algumas pessoas na frente do prédio. Um casal informou que foi em busca de atendimento médico, mas ao entrar na recepção, não havia ninguém para atender. “Achamos estranho. Fomos entrando nas salas e abrindo as portas para ver se tinha alguém para nos atender” , contou.

Parte dos funcionários terceirizados estava nos fundos do prédio. Um grupo se reuniu com representantes da Secretaria Municipal de Saúde e com os vereadores Wesley da Dialogue (Podemos), Regininha (Avante) e Antônio Edwaldo Costa (PSDB), o Dunga, que foram chamados pelos funcionários.

A secretária municipal de Saúde, Carmem Guariente, também conversou com o grupo, mas saiu em seguida. Quando a reportagem deixou o local, por volta das 14h30, representantes dos vários setores do pronto-socorro estavam sendo convocados para participar de uma reunião.

Pouco depois a Prefeitura emitiu nota informando que o atendimento no pronto-socorro estava dentro da normalidade. O Hojemais Araçatuba encaminhou e-mail ao IMG pedindo informações, mas não teve resposta até o final da tarde.

Providências

Já na noite desta sexta-feira a Prefeitura emitiu nota afirmando que todas as contratações estão sendo efetivadas conforme entrega dos documentos pelos colaboradores.

Ainda de acordo com a administração municipal, não haverá redução de salários por parte do IMG. “Ressaltando que a mesma deve seguir as convenções trabalhistas e demais obrigações previstas na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho)”, informa a nota.

Por fim, a Prefeitura afirma que a administração pública está acompanhando toda transição de gestão do pronto-socorro, para manter a assistência à população e a satisfação aos colaboradores.

Fonte:Hojemais