Julio Casares critica remuneração de conselheiros do São Paulo: “Antiético”

Em ano de eleição para a presidência e para o Conselho Deliberativo, a política do São Paulo já começa a ferver. Neste domingo, Julio Casares, conselheiro e possível candidato ao cargo de presidente do clube, participou do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, e comentou a situação do Tricolor.

Casares apontou o fato de conselheiros exercerem funções remuneradas como um dos problemas a serem resolvidos nos bastidores. Este cenário, porém, só poderá ocorrer até o mês de abril deste ano, já que uma alteração do estatuto aprovada em maio de 2019 proibiu que membros do Conselho Deliberativo sejam pagos pelo clube.

“O São Paulo tem que ter gestão baseada em meritocracia, compliance e governança. Não podemos nunca mais ter conselheiro remunerado, é antiético. O conselheiro é um abnegado e pode ajudar, como sempre ajudou na história do São Paulo. Mas remunerado tem que ser o profissional de notória experiência. É uma página que estamos virando. Esse grupo é grande e mais à frente vai decidir os nomes para presidente do Conselho Deliberativo e diretoria”, declarou.

O conselheiro ainda evitou confirmar a candidatura, mas afirmou que é uma possibilidade. “Fico feliz por ser lembrado por vários grupos. Mais importante que o nome (do candidato) é ter programa de gestão. Reunimos 142 conselheiros que querem mudanças de gestão. Se é meu nome ou outro, vamos falar lá na frente. Agora é prematuro falar em candidatura. Não é prioridade, tenho a vida encaminhada, mas é uma vontade coletiva e pode acontecer”, completou.