Justiça acatou pedido da defesa, que teve a concordância do Ministério Público, para garantir julgamento justo

A Justiça de Buritama (SP) acatou pedido da defesa do empresário Isac Alexandre Gaspar Pinto, 45 anos, e vai transferir o julgamento pelo Júri Popular para outra comarca. Ele foi denunciado por dupla tentativa de homicídio qualificado, acusado de tentar matar a dona de um depósito de bebidas.

A mulher foi prensada na parede do estabelecimento pela caminhonete conduzida pelo réu. O crime aconteceu na noite de 24 de agosto de 2018 e, no entendimento do Ministério Público, um homem que acompanhava a comerciante também foi vítima de tentativa de homicídio.

A confirmação do Júri Popular ocorreu em novembro do ano passado e a defesa de Gaspar Pinto, feita pelo advogado Elber Carvalho de Souza, pediu o desaforamento para que o corpo de jurados não seja da comarca de Buritama.

Para a defesa, com o julgamento ocorrendo na cidade havia o risco de não haver a devida imparcialidade, já que o caso teve grande repercussão e é muito comentado na entre o moradores, gerando pressão nos jurados.

Além disso, ele citou no pedido que o empresário teve um caminhão incendiado, ação que pode ter sido criminosa, praticada em retaliação ao caso em julgamento.

Consta na decisão que a Promotoria de Justiça concordou com a desaforamento do Júri e acrescentou argumentos favoráveis à transferência. Segundo o Ministério Público, existia o risco de se compor um Conselho de Sentença favorável ao acusado, pois uma das testemunhas teria sido intimidada durante o processo.

Ao deferir o pedido de desaforamento, a Justiça de Buritama determinou que o julgamento ocorra em outro Plenário de Júri, de preferência longe de comarcas da região, já que o caso foi amplamente divulgado pela imprensa local e regional.
Fonte: Hojemais