Segundo MPF, funcionários do banco cobravam sobrepreço nas operações da operação e diferença era desviada para executivos da estatal. Prejuízo é estimado em R$ 100 milhões.

Vinte a cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Federal (PF), na manhã desta quinta-feira (10), na 74ª fase da Operação Lava Jato, em um esquema que investiga fraudes em operações de câmbio comercial contratadas pela Petrobras com o Banco Paulista.

A operação foi batizada de Sovrapprezzo, e os mandados estão sendo cumpridos em São Paulo e no Rio de Janeiro, em Teresópolis e na capital.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), funcionários do banco cobravam sobrepreço nas operações da operação e diferença era desviada para executivos da estatal. O prejuízo é estimado em R$ 100 milhões, e o esquema ocorreu entre 2008 e 2011.

Alvos dos mandados de busca e apreensão
Três executivos do Banco Paulista, em São Paulo;
Cinco pessoas ligadas às empresas utilizadas no esquema no Rio de Janeiro;
Três funcionários que trabalharam na gerência de câmbio da Petrobras;
Quatro familiares desses funcionários, suspeitos de participação na dissimulação e na ocultação das variações patrimoniais, por meio de empréstimos e doações ideologicamente falsos.


Operações de compra e venda de dólares com a Petrobras
As investigações revelaram que, entre agosto de 2008 e março de 2011, o Banco Paulista intermediou o equivalente a R$ 7,7 bilhões em operações de compra e venda de dólares com a Petrobras. Esse volume, segundo a força-tarefa, foi transacionado pelos três funcionários da gerência de câmbio.

O esquema, ainda de acordo com a Polícia Federal, funcionava mediante possível pagamento de propina para operadores da empresa pública a ser dividida com empregados da instituição financeira, paga em troca do direcionamento dos negócios cambiais para o Banco Paulista.

As ordens judiciais foram determinadas pelo juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Os crimes investigados na atual fase são corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e associação ou organização criminosa.