Praia já foi limpa. Mais de 300 toneladas já foram retiradas das praias baianas desde a chegada da substância ao estado, segundo balanço de prefeituras. Estado está em situação de emergência.

Manchas de óleo chegam em Ilhéus, no sul da Bahia — Foto: Divulgação

Manchas de óleo chegam em Ilhéus, no sul da Bahia — Foto: Divulgação

As manchas de óleo que atingem o litoral do Nordeste chegaram à cidade de Ilhéus, no sul da Bahia, na manhã desta sexta-feira (25). Com isso, subiu para 14 o número de municípios baianos contaminados. O estado está em situação de emergência.

 

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo de Ilhéus, Jerbson Moraes, o local afetado na cidade é a Praia do Norte. Nas imagens enviadas ao G1 pelo secretário, é possível ver dezenas de manchas de óleo na areia.

A praia foi limpa pela manhã por uma força-tarefa formada por funcionários da prefeitura, voluntários, além de integrantes da Marinha e Exército.

Além de Ilhéus, as outras cidades atingidas no estado são Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Conde, Esplanada, Vera Cruz, Itaparica, Itacaré, Jandaíra, Entre Rios, Cairu, Maraú e Mata de São João. São quase 60 localidades contaminadas.

Manchas de óleo chegam em Ilhéus, no sul da Bahia — Foto: Divulgação

Manchas de óleo chegam em Ilhéus, no sul da Bahia — Foto: Divulgação

Segundo balanço das prefeituras, mais de 300 toneladas já foram removidas dos locais afetados desde que o óleo chegou na Bahia, em 3 de outubro deste ano. O estado foi o último do Nordeste a ser atingido pelas manchas, que começaram a aparecer em setembro.

Destes municípios, Salvador (104,8 toneladas), Entre Rios (50 toneladas), Mata de São João (40 toneladas), Conde (25 toneladas) e Camaçari (20 toneladas) são os que mais tiveram óleo coletado até esta sexta-feira.

Em Cairu, novas manchas de óleo atingiram a Quarta e Quinta Praias e a localidade de Garapuá nesta sexta-feira. As manchas estão sendo retiradas desde as primeiras horas da manhã. Vídeo enviados por voluntários mostram a substância. No início desta tarde, o óleo já havia sido limpo.

Na quinta-feira (24), pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) divulgaram que encontraram presença do óleo nos aparelhos digestivos e respiratórios de peixes e mariscos recolhidos em locais atingidos pela substância na região metropolitana de Salvador.

A UFBA recomendou que seja declarado estado de emergência em saúde pública na região por causa da contaminação de petróleo. Em um comunicado, a instituição defendeu portaria acionada em casos de “calamidade pública” e reforçou os riscos do contato com o benzeno, composto volátil e tóxico, liberado pelo óleo no meio ambiente.

A contaminação já gera prejuízos. A Bahia Pesca estima que cerca de 16 mil pescadores foram afetados, direta ou indiretamente, pelo derramamento de óleo em Salvador, Itaparica, Vera Cruz e praias do Litoral Norte, até a divisa com Sergipe.