Estudos apontam que a nova vacina contra a varíola humana (smallpox) é cerca de 85% eficaz na prevenção da varíola dos macacos (monkeypox). Varíola humana foi erradicada há mais de 40 anos, apenas grupos específicos foram vacinados recentemente.

Quem está protegido contra os casos da varíola dos macacos (monkeypox, em inglês)? Há necessidade de vacinação como já anunciam alguns países pelo mundo? No Brasil não existe previsão de nova campanha, mas e quem já tomou a vacina contra a varíola tradicional no passado? Consegue identificar pela cicatriz no braço que foi imunizado?

Para responder as questões sobre o tema o g1 conversou com especialistas e reuniu informações da OMS e de agências de saúde.

Veja abaixo respostas para os seguintes tópicos:

Quando a vacina contra a varíola humana (smallpox) foi oferecida?
Como saber quem foi imunizado no Brasil em campanhas no passado?
Quais são as vacinas que temos hoje contra a varíola? Elas são eficazes contra a monkeypox?
Quem deve ser vacinado no atual momento em países que anunciaram que investirão na estratégia?

A história da vacinação contra a varíola
Quem não conhece a história ou já ouviu falar algo a respeito da Revolta da Vacina, a série de rebeliões populares que uma parte da população do Rio de Janeiro desencadeou no final de 1904?

Na época, o Rio vivia um aumento expressivo no número de internações ocasionadas pela varíola humana (que não deve ser confundida com a varíola dos macacos), mesmo assim, uma parte da população era contra a ideia de se imunizar com aquela que foi a primeira vacina bem-sucedida a ser desenvolvida na história da saúde pública.

A alegação à época pode soar parecida se transportada para os dias de hoje: boatos e informações falsas faziam a população acreditar que a campanha de imunização obrigatória, liderada pelo médico Oswaldo Cruz, iria provocar feições bovinas e outras deformidades do tipo porque o líquido da vacina era produzido a partir de vacas doentes.

Foi somente anos depois, em 1908, quando uma nova epidemia aumentou expressivamente o número de casos que a população correu voluntariamente para se imunizar.

E décadas mais tarde, depois de muitos avanços científicos, em 1971, com uma vacina mais moderna e graças a uma intensa campanha de imunização global encabeçada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a varíola humana – que chegava a apresentar um índice de 30% e mortalidade – foi declarada erradica no Brasil.

“Erradicar é diferente de controlar. Erradicar é tirar o germe do meio ambiente completamente. E isso só foi alcançado até hoje com a varíola”, explica Tania Maria Fernandes, Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz.

No mundo todo, os últimos casos da doença foram registrados em 1979 e a varíola foi erradicada. No ano seguinte, a Assembleia Mundial da OMS recomendou que todos os países cessassem suas campanhas de vacinação.