Órgãos informaram que vão ouvir testemunhas envolvidas no caso. Lancha em que ela estava com marido deve ser periciada nesta terça-feira (30). Corpo será velado em cerimônia reservada para familiares.

A Marinha e Polícia Civil abriram inquéritos para investigar as circunstâncias da morte da modelo Caroline Bittencourt no litoral norte de São Paulo. Ela desapareceu após cair no mar no domingo (28) em Ilhabela e o corpo foi encontrado pelas equipes de resgate na tarde desta segunda-feira (29) na cidade vizinha, São Sebastião.

A família confirmou que identificou o corpo como sendo o dela no fim da tarde. O marido da modelo, Jorge Sestini, foi encontrado e salvo em estado de choque por um marinheiro na noite de domingo.

Os dois órgãos informaram que o próximo passo é ouvir as testemunhas envolvidas, como o marido da vítima e o marinheiro que fez o resgate dele.

Segundo a Capitania dos Portos, a lancha deve passar por perícia nesta terça-feira (30). Uma equipe técnica vai até a marina, onde a embarcação está atracada, em São Sebastião, para realizar a vistoria.

O órgão da Marinha informou que não havia irregularidade administrativa na embarcação e a principal linha de investigação é que o acidente tenha sido causado pelo mau tempo. Ventos de mais de 100 km/h atingiram a região onde o casal navegava.

Já a Polícia Civil informou que o inquérito foi aberto no 1º Distrito Policial de São Sebastião e que a princípio irá investigar diferentes hipóteses do que pode ter acontecido.

O corpo da modelo passou por exames no IML de Caraguatatuba na noite desta segunda e os laudos devem ajudar na investigação. O resultado deve ficar pronto em cerca de 30 dias. Do Instituto Médico Legal, ele foi levado para São Paulo, onde será velado em cerimônia reservada a familiares.