A reação negativa após a morte do médico levou as autoridades do país a anunciarem a abertura de uma investigação. A prefeitura de Wuhan deu pêsames à família.

Imagem mostra foto do oftalmologista Li Wenliang, que morreu com coronavírus após ser reprimido pela polícia chinesa ao tentar alertar sobre o surto quando ele ainda estava no início. Retrato foi visto entre flores em frente ao Hospital Central de Wuhan, na China. — Foto: STR/ AFP

Imagem mostra foto do oftalmologista Li Wenliang, que morreu com coronavírus após ser reprimido pela polícia chinesa ao tentar alertar sobre o surto quando ele ainda estava no início. Retrato foi visto entre flores em frente ao Hospital Central de Wuhan, na China. — Foto: STR/ AFP

A morte do médico Li Wenliang – apontado como um dos primeiros a identificar a existência do surto do novo coronavírus, alertar as autoridades, e ser convocado pela polícia pela atitude – provocou uma onda de revolta na população, informou a agência France Presse.

A reação negativa após a morte do médico levou as autoridades do país a anunciarem a abertura de uma investigação. A prefeitura de Wuhan deu pêsames à família.

A epidemia já matou 637 pessoas na China e 1 nas Filipinas. Mais de 31 mil pessoas estão infectadas com o vírus 2019-nCoV.

O doutor Li, de 34 anos, morreu no hospital central de Wuahn, cidade de 11 milhões de habitantes que está isolada do mundo desde 23 de janeiro. O oftalmologista contraiu a doença quando tratava um paciente (leia mais abaixo).

Na China, morre médico que foi um dos primeiros a alertar para o novo coronavírus

Doença subestimada
O governo da China vem sendo acusado de subestimar a gravidade do vírus no início da proliferação da doença e de tentar mantê-lo em segredo. A morte de Wenliang ilustra a situação caótica dos hospitais de Wuhan, muito saturados.

Um alto funcionário do governo provincial admitiu na quinta-feira que os profissionais da área da saúde não contam com equipamento de proteção contra o vírus.

No início de fevereiro, o governo chinês admitiu falha na resposta à epidemia do novo coronavírus.

A morte de Wenliang trouxe ainda mais a sensação de descaso das autoridades com a população.

As redes sociais foram tomadas por hashtags contra o governo, mas elas logo foram censuradas.

Mulher é vista colocando flores em frente ao Hospital Central de Wuhan, onde o médico oftalmologista Li Wenliang morreu com coronavírus; ele chegou a ser investigado pela polícia por 'espalhar boatos' quando identificou o coronavírus antes da doença se tornar um surto internacional. — Foto: STR/AFP

Mulher é vista colocando flores em frente ao Hospital Central de Wuhan, onde o médico oftalmologista Li Wenliang morreu com coronavírus; ele chegou a ser investigado pela polícia por ‘espalhar boatos’ quando identificou o coronavírus antes da doença se tornar um surto internacional. — Foto: STR/AFP