A tarifa de pós-utilização de R$19,90 é uma das campeãs de reclamações 

Na última quinta-feira (25), o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), instaurou procedimento com a finalidade de apurar as alegações de irregularidades na fiscalização do estacionamento rotativo sobre responsabilidade da empresa Arapark na cidade de Araçatuba.

A denúncia foi apresentada por Devair Quesada, detetive profissional, que após compartilhar um post no facebook em que descrevia o episódio em que um funcionário da Arapark fotografou o seu carro enquanto ele tinha ido comprar o ticket de estacionamento, recebeu 108 comentários de araçatubenses que descreviam episódios em que precisaram pagar uma tarifa para não serem multados ou para não terem o carro fotografado.

A tarifa de pós-utilização de R$19,90 cobrada pela empresa Arapark é uma das campeãs de reclamações na postagem de Quesada e um dos motivos que levou o detetive a protocolar a denúncia.

“Ocorre que diante da cobrança da quantia de R$19,90, pagos mediante tíquetes expedidos pelos fiscais são feitos diretamente no escritório da Arapark, suprindo assim, as atuações por meios legais e a indagação é se esse valor tem sido repassado ao Erário público e se esse valor substitui uma multa?”, comenta Quesada.