Técnico terá mais opções para escalar o time quando o torneio for retomado

O técnico Hernán Crespo escalou o São Paulo contra o Novorizontino, no dia 13 de março, com Luan improvisado na zaga e Rodrigo Freitas, que há muito não jogava, ao lado. No banco, os jovens Lucas Beraldo, Vitinho, Talles e Gabriel Rodrigues, convocados da base para completar o time. Foi a última partida da equipe, derrotada por 2 a 1.

Desde então, a pandemia de Covid-19 atingiu um novo pico em São Paulo, o que levou o governo do estado a implantar as medidas mais restritivas para tentar controlar a propagação da doença, o que incluiu a suspensão de todos os eventos esportivos.

Nesse período sem jogos, Crespo ganhou um tempo que não teve ao assumir para treinar o time – ele comandou o primeiro treinamento um dia depois do fim do Brasileiro, e dois dias antes da estreia no Paulista. O argentino também ganhou quatro novos reforços e viu jogadores lesionados retornarem às atividades em campo.

O treinador tem novas opções para todos os setores do campo. Foram contratados o zagueiro Miranda, o lateral-direito Orejuela, os meio-campistas William e Benítez e o atacante Eder. Desses, só Benítez ainda não assinou contrato, enquanto Miranda e Orejuela já tiveram até seus acordos registrados no BID.

Desses, três estarão na fase de grupos do Paulista – é o número de vagas que restam na lista de inscritos, e Miranda e Orejuela são favoritos a dois lugares, com os demais disputando o posto restante. Todos eles, porém, poderão disputar a Libertadores, com a fase de grupos prevista para começar na semana de 21 de abril.

Além dos reforços, Crespo também terá de volta jogadores que estavam lesionados. Liziero, em fase final de recuperação no tornozelo, é um deles. O volante está fora desde setembro e já foi inscrito no Paulista. Igor Gomes, que sofreu uma concussão na estreia do estadual e não jogou mais, é outro que se recuperou.

Há, também, os atletas que foram desfalques na última rodada por terem testado positivo para Covid-19: os zagueiros Léo e Diego Costa, o lateral Wellington, e o atacante Galeano, que não teve o diagnóstico confirmado, mas foi afastado preventivamente por morar junto com Diego Costa.