Admitiu ter emprestado dinheiro para amigos, familiares e outras pessoas, mas teria deixado a prática

A Polícia Civil de Birigui (SP) apreendeu nesta quinta-feira (27), R$ 58 mil em notas promissórias e outros objetos com uma calçadista de 37 anos, suspeita de praticar agiotagem, que é o empréstimo de dinheiro a juros maiores do que o praticado pelo mercado.

Segundo e delegado do 1º Distrito Policial, Eduardo Lima de Paula, a mulher já vinha sendo investigada e diante das evidências do crime, foi solicitado à Justiça um mandado de busca e apreensão.

Esse mandado foi expedido e cumprido no início da manhã, quando investigadores acompanhados do próprio delegado estiveram na casa da calçadista.

A equipe foi recebida pela investigada, que autorizou vistoria no imóvel e admitiu já ter emprestado dinheiro para amigos, familiares e pessoas por eles indicadas. Porém, alegou que deixou realizar tais empréstimos porque o marido dela está desempregado e a renda dela diminuiu muito.

Sem valor

A mulher apresentou aos policiais os cadernos com anotações, documentos e outros objetos. Segundo a polícia, no total foram apreendidas 39 notas promissórias de diversos valores, que somados resultou em R$ 58.000,60.

A investigada alegou que não tinha o costume de devolver as notas promissórias pagas aos clientes e que muitas das que foram apreendidas deixaram de ter valor comercial.

Ela foi levada para a delegacia e liberada após prestar depoimento. Um inquérito foi instaurado e o celular da investigada, que foi apreendido com os demais objetos, será periciado.

Se confirmado o crime, ela responderá por usura, que tem pena prevista de 6 meses a 2 anos de detenção e multa.