Investigado estava na casa dos avós em Avanhandava e foi capturado por equipe do DEIC; ele negou participação

Corpos das vítimas foram encontrados carbonizados dentro do carro da família (Foto: Reprodução /TV Globo)


A Polícia Civil de São Bernardo do Campo (SP) prendeu na manhã desta terça-feira (4) em Avanhandava, a 67 quilômetros de Araçatuba, mais um investigado por participação no assassinato de uma família residente na cidade do Grande ABC.

Os corpos de Flaviana Gonçalves, 40 anos; do marido dela, Romuyuki Gonçalves, 43; e do filho do casal, Juan Gonçalves, 15, foram encontrados carbonizados no porta-malas do carro da família, na madrugada do último dia 28.

A outra filha do casal, de 24 anos, e a companheira dela, de 31, estão presas temporariamente suspeitas de participação no crime.

A polícia chegou até o investigado preso em Avanhandava após depoimento da companheira da filha do casal. De acordo com a investigada, ele seria primo dela.

Após a Justiça expedir o mandado de prisão temporária, equipe do DEIC (Delegacia Especializada de Investigações Criminais) de São Bernardo do Campo fez contato com a Delegacia Seccional de Araçatuba e informou que o investigado poderia estar em Avanhandava.

Equipe do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil de Araçatuba foi para Avanhandava no início da manhã e conseguiu levantar o endereço de familiares do investigado. O imóvel foi cercado e ele detido, mas negou participação no crime.

Ainda segundo apurado pelo Hojemais Araçatuba , o investigado alegou que estava naquela casa havia cerca de dois meses, vindo de São Bernardo do Campo, versão que foi confirmada pelos avós e outros familiares dele.

Entretanto, ao vistoriar o imóvel, a mala com os pertences pessoais do investigado sequer havia sido desfeita, segundo a polícia.

Mantendo a versão inicial, tanto o investigado como os familiares afirmaram que ele passou o Natal e o Ano-Novo com a família. Porém, foram verificadas as fotos feitas nessas confraternizações e o investigado não está em nenhuma delas.

O investigado até admitiu ter exercido função importante relacionada ao tráfico de drogas na região do Grande ABC, em uma facção criminosa, mas afirma que não tem nada a ver com o assassinato da família.

Mesmo assim, o mandado de prisão foi cumprido e o investigado foi encaminhado para São Bernardo do Campo, onde deve permanecer à disposição da Justiça.