Homem disse à polícia que está sendo ameaçado por parar de pagar aluguel por ponto na frente do cemitério da Saudade

Um vendedor procurou a polícia no último sábado (20), em Araçatuba (SP), para denunciar que foi ameaçado após suspender o pagamento de aluguel por um ponto para venda de água de coco na frente do cemitério da Saudade, onde há vários ambulantes que comercializam esse tipo de produto.

Ele contou que durante cinco anos pagou aluguel a uma mulher pela utilização do espaço, já que ela alegava que o espaço lhe pertencia.

Entretanto, a vítima procurou um funcionário da Prefeitura, que explicou que o pagamento de aluguel é indevido, por se tratar de um espaço público. Como foi informado que poderia ser processado por estar fazendo o pagamento, ele deixou de pagar o aluguel.

Porém, segundo o vendedor, após informar à suposta proprietário do espaço que não pagaria mais o aluguel, na sexta-feira (19) ele foi procurado pelo namorado da vítima, que teria se apresentado como advogado.

O investigado afirmou que o vendedor teria que continuar pagando o aluguel e tirou a cinta que usava para tentar agredi-lo. Disse ainda que a vítima terá que pagar R$ 22 mil pelo ponto, caso contrário, não terá paz.

Questionada sobre a fiscalização, a Prefeitura informou que durante as visitas verifica se o ambulante está com a documentação regularizada para atuar como ambulante. “Sim, tem fiscalização, inclusive hoje a fiscalização esteve hoje em frente ao cemitério da Saudade e notificou um ambulante a regularizar a situação junto à Prefeitura”, informa em nota.

Além de não haver ponto fixo para vendedor ambulante, os profissionais que trabalham dessa forma precisam seguir algumas regras, como ficar a 100 metros de estabelecimentos que comercializem o mesmo produto; 100 metros de estabelecimentos de Saúde; 100 metros de estabelecimentos escolares, entre outros.
Fonte: Hojemais