Prefeitura de Birigui reconhece insalubridade no Canil Municipal

Atendendo uma antiga reivindicação dos servidores que prestam serviços no Canil Municipal, o prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão, reconheceu que o trabalho no local conta com atividade insalubre, aquelas que por natureza, condições ou métodos de trabalho exponham os empregados a agentes nocivos à saúde.

Na tarde desta terça-feira, dia 16 de abril, o prefeito recebeu representantes do Sisep (Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos das Prefeituras e Câmaras da Região), agentes de combate e endemias.

Pelo sindicato, participaram o presidente Gilson Paulino da Silva, o advogado Rodrigo Martins e o diretor Everson Felício Silva.

 

“Fomos procurados pelos servidores e levamos o caso até o prefeito, que analisou o nosso pedido. Tivemos o apoio dos vereadores Vadão e Buchalla”, disse o presidente Gilson.

O prefeito solicitou um Parecer Técnico aos profissionais do Departamento de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, setor da Secretaria Municipal de Administração.

O parecer, assinado pelo engenheiro Alex Coelho da Silva e pelo técnico de Segurança do Trabalho Marco Antônio de Souza, apontou atividade insalubre no canil da Prefeitura de Birigui, que fica no bairro Cidade Jardim.

“O laudo apontou insalubridade e nós temos que acatar as condições de trabalho deste setor. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê percentual que pode variar de 10%, 20% ou 40%. Temos que seguir a legislação trabalhista e, acima de tudo, temos que respeitar os servidores da Prefeitura de Birigui”, explicou o prefeito Cristiano Salmeirão.

“Seis servidores efetivos da prefeitura que prestam atividades no canil conseguiram adicionais de insalubridade com percentual de 40%”, completou o advogado do Sisep, Rodrigo Martins.