Na quinta-feira, CBF ameaçou retirar partidas a serem disputadas em Pernambuco caso o Governo do Estado não garanta presença de policiais no interior dos estádios

Nesta quinta-feira, a CBF, em nota oficial, ameaçou retirar os jogos a serem realizados pela entidade em Pernambuco caso o Governo do Estado não garanta a presença de policiais militares dentro dos estádios. Posicionamento que, segundo o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho, passa a valer para o jogo do próximo domingo, entre Náutico e Vasco, nos Aflitos, pela 31ª rodada da Série B.

A decisão da CBF foi tomada após a invasão de campo generalizada promovida pela torcida do Santa Cruz, na última terça-feira, após a eliminação na fase classificatória da Copa do Nordeste, contra o Floresta, na Arena de Pernambuco.

Em contato com o ge, Evandro Carvalho adiantou que entrará nesta sexta-feira com um mandato de segurança junto ao Tribunal de Justiça de Pernambuco para que haja a garantia da presença dos policiais militares fazendo a segurança dentro do gramado, uma vez que, segundo o dirigente, a presença da PM só se faz presente nas arquibancadas e arredores do estádio, o que não atende à exigência da CBF. Segundo Evandro, sem isso, o jogo entre Náutico x Vasco, no domingo, pode ser adiado.

A Secretaria de Defesa Social continua com a mesma postura e diz que não vai colocar policiais dentro do quadrilátero de campo e eu já expliquei que esse é o ponto central e crítico da exigência da CBF. Pernambuco é o único estado do Brasil onde a polícia fica na sala de monitoramento e na arquibancada. Veja qual foi o tempo que a polícia levou para entrar dentro de campo no jogo passado (entre Santa Cruz e Floresta). Não podemos fazer jogo se não tiver 30, 40 homens da polícia dentro de campo. Sem isso não vai ter jogo domingo -, reclamou Evandro.