Região registra a maior queda do Estado em número de vítimas motociclistas

 

Araçatuba registrou a maior queda, entre todas as regiões do Estado, no número de mortes envolvendo motociclistas no mês passado na comparação com junho. Os números foram divulgados na última semana pelo Infosiga, o sistema de dados do Governo de São Paulo, gerenciado pelo programa Respeito à Vida.
De acordo com o levantamento, juntas, as 43 cidades da região registraram diminuição de 60% no período, índice que supera, com folga, a média observada no Estado, onde a redução chegou a 16%. Conforme o estudo, no sétimo mês do ano, 138 condutores de motos foram vitimados por acidentes em todo o território paulista, enquanto no período anterior, a quantidade havia ficado em 166.
“A redução de acidentes fatais envolvendo motociclistas e pedestres é um sinal positivo, pois são os grupos que lideram as estatísticas”, disse a coordenadora do programa, Silvia Lisboa, em nota enviada pela assessoria de imprensa do Estado.

PARCERIA
A expectativa das autoridades é que este número continue a cair nos próximos meses, levando-se em conta medidas, investimentos e parcerias adotadas pelo poder público recentemente. Foi justamente no mês passado, por exemplo, que o secretário municipal de Planejamento e Mobilidade Urbana, Ernesto Tadeu Consoni, de Araçatuba, maior cidade da região, esteve em São Paulo para requerer a inclusão de Araçatuba no “Respeito à Vida”.
O objetivo é conseguir recursos estaduais para a realização de melhorias no trânsito. No ano passado, quando o programa ainda se chamava Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, a cidade recebeu R$ 1,3 milhão que foram investidos na aquisição de semáforos.
Segundo o Estado, o Programa “Respeito à Vida” atua como articulador de ações com foco na redução de acidentes de trânsito, envolvendo nove secretarias estaduais: Governo, Educação, Segurança Pública, Saúde, Logística e Transportes, Transportes Metropolitanos, Desenvolvimento Regional, Desenvolvimento Econômico e Direitos da Pessoa com Deficiência.
Além da divulgação mensal de acidentes fatais nos 645 municípios paulistas e da realização de convênios com as prefeituras, como Araçatuba tem feito, o programa também mobiliza a sociedade civil por meio de parcerias com empresas e associações do setor privado, além de entidades do terceiro setor.
Atualmente, 304 cidades são parceiras do programa e R$ 200 milhões em recursos provenientes de multas do Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) beneficiam 96% da população, apontam os número do programa.

COMPARAÇÃO
A redução no território regional foi tão expressiva que, nas outras oito regiões paulistas onde houve queda, o percentual não se aproximou do constatado em Araçatuba.
A segunda maior redução ocorreu na região de São José dos Campos, com baixa de 42%. Na sequência, vêm: Registro (38%), Bauru (35%), São José do Rio Preto (28%), Ribeirão Preto (26%), Barretos (14%), Região Metropolitana de São Paulo (13%) e Santos (10%).
Os aumentos foram registrados nas regiões de Campinas (29%), Central (6%), Franca (33%), Itapeva (133%), Marília (8%) e Sorocaba (96%). Já na de Presidente Prudente, os índices permaneceram estáveis.