Com risco de iniciar a temporada como terceiro goleiro e liberado pela diretoria para buscar propostas, Sidão diz que se apresenta normalmente e quer brigar por espaço

Sidão terminou a temporada como reserva de Jean e corre o risco de virar terceiro goleiro no próximo ano, já que o São Paulo planeja dar oportunidades ao garoto Lucas Perri. Ainda assim, ele manifestou no último domingo o desejo de ficar no Morumbi e cumprir o contrato até dezembro de 2019. O atleta julga ter feito uma boa temporada individualmente e se apega aos números para acreditar que pode recuperar a condição de titular.

Esta foi, de fato, a temporada em que Sidão teve seus melhores números desde que passou a atuar em clubes grandes. Foram 37 gols sofridos em 46 partidas disputadas, com média de 0,8 gol/jogo. Em 2017, seu primeiro ano de São Paulo, ele sofreu 35 gols em 25 jogos (média de 1,4). Em 2016, fez as mesmas 46 partidas deste ano, mas sofreu 52 gols (média de 1,1), contando as passagens por Audax e Botafogo.

Mas ele também cometeu falhas que a torcida não perdoou. Muito pressionado, o camisa 12 perdeu a posição para Jean após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, no Morumbi. As atuações do concorrente agradaram à diretoria, que decidiu apostar nele para o próximo ano e não trata a contratação de um novo goleiro como prioridade. Vanderlei chegou a ser uma opção, mas o Santos pediu muito dinheiro.